SC: Porto de Imbituba dá início à 11ª temporada do Programa de Monitoramento das Baleias-Francas


Serão realizadas avistagens em pontos terrestres estratégicos no litoral, além de avistamentos aéreos através de sobrevoos de helicóptero.

Por GÉSSICA DA SILVA da ASSESSORIA DE IMPRENSA
DO SCPAR PORTO DE IMBITUBA,
em Imbituba/SC

📷 SCPar Porto de Imbituba / Divulgação

A 11ª edição do Programa de Monitoramento das Baleias-Francas da SCPar Porto de Imbituba começa oficialmente em julho, e será realizada até novembro, período da temporada da baleia-franca no Brasil. O objetivo da ação é o monitoramento destes mamíferos marinhos que visitam a região da Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca, bem como o desenvolvimento de ações educativas voltadas aos tripulantes dos navios que circulam na área do Porto e aos operadores portuários.

As avistagens feitas pelo Programa do Porto de Imbituba são realizadas a partir de pontos terrestres estratégicos no litoral. O monitoramento terrestre ocorre diariamente, em pontos de observação nas praias do Porto e Ribanceira, em Imbituba. O tempo de observação padrão é de seis horas diárias, divididas em dois turnos, podendo variar de acordo com a quantidade de horas/luz diárias e condições climáticas, bem como a movimentação dos navios.

Também é realizada durante a temporada a metodologia de avistagem aérea, que consiste na realização de três sobrevoos de helicóptero nos meses de julho, setembro e novembro. Os sobrevoos ocorrem em toda a extensão da APA da Baleia Franca, para registrar a localização, contar, fotografar e identificar os cetáceos através das calosidades únicas que cada baleia possui sobre a cabeça.

📷 SCPar Porto de Imbituba / Divulgação

Anualmente as baleias-francas, principalmente fêmeas em fase de procriação, migram para o Litoral Sul de Santa Catarina. Elas partem da Antártica, onde se alimentam e acumulam reserva energética em forma de gordura para a jornada rumo ao continente sul-americano.

“Elas costumam retornar para áreas mais rasas e abrigadas para terem os filhotes. Todos os animais visualizados pelo monitoramento na região da APA e no entorno do Porto de Imbituba são catalogados por meio de fotografia e filmagem das calosidades que elas têm em cima da cabeça, que são únicas para cada animal, como se fosse uma digital. Com isso, podemos saber se elas retornam”, explica o oceanógrafo Gilberto Oliveira Endoh Ougo, especialista da Acquaplan, empresa contratada para executar os programas ambientais do Porto.

📷 SCPar Porto de Imbituba / Divulgação

Além dos monitoramentos aéreo e terrestre, o Porto de Imbituba também faz desde 2017 o Procedimento Interno de Boas Práticas, para conscientizar a tripulação dos navios e de embarcações de apoio portuário sobre a presença das baleias-francas no entorno do Porto. “Nessa abordagem eu levo informações sobre o comportamento das baleias-francas, mostro para eles o mapa dos limites da APA e também explico como ocorre o monitoramento dos cetáceos no Porto”, comenta a oceanógrafa Camila Amorim, analista portuária da SCPar Porto de Imbituba.

Ações para conservação da baleia-franca rendem prêmios

A atuação focada na conservação das baleias já rendeu ao Porto de Imbituba quatro premiações: o Prêmio Empresa Cidadã ADVB/SC, categoria Preservação Ambiental, nos anos de 2016 e 2017, o 23º Prêmio Expressão de Ecologia, em 2016, categoria Conservação da Vida Silvestre e, em 2019, o Prêmio Nacional de Responsabilidade Socioambiental da Revista Portos e Navios, conferido durante o 15° Seminário Nacional sobre Indústria Marítima e Meio Ambiente




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’