Mais da metade do saldo de empregos criados em maio em Lages foram viabilizadas pelo Banco do Emprego


Construção civil está à frente dos índices do saldo de 148 vagas em Lages. São 281 construtoras no município, absorvendo a mão de obra de 1.576 pessoas.

Por DANIELE MENDES DE MELO da ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Toninho Vieira / ASCOM PML
Um dos valores mais preservados por um cidadão é a dignidade resgatada com o trabalho. Em Lages, as estatísticas sopram a favor das famílias que reencontraram fôlego e estabilidade com a carteira assinada, agarrando com as duas mãos a chance de ter renda para sua família e benefícios previdenciários, e a sua empresa dar retorno ao desenvolvimento econômico. O mês de maio deste ano fechou com saldo de 148 novos postos de trabalho preenchidos em Lages, um resultado que revela um dos melhores desempenhos de Santa Catarina.

Lages está em 5º lugar entre as cidades do Estado que mais geraram empregos neste período. Os municípios catarinenses com mais de 30 mil habitantes que se destacaram na geração de postos de trabalho em maio foram Chapecó, São José, Brusque, Florianópolis, Lages e Blumenau.

O segmento da construção civil lidera o ranking em Lages. No total do ano, o saldo da maior cidade da Serra é de 1.006 admissões. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged)/Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia. “A construção civil realmente desponta de novo e está acima das perspectivas. A indústria, comércio e prestação de serviços de Lages são bem diversificadas. Nossa economia reage a bons passos e logo, logo teremos novas duas centenas de vagas diretas no comércio atacadista-varejista”, justifica o secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Mario Hoeller de Souza (Marião).

Reaquecido pela demanda na edificação de casas, apartamentos e estabelecimentos comerciais, o mercado imobiliário comemora os números, a economia cresce, a renda aumenta e os clientes saem satisfeitos. Em diversos pontos da cidade é nítida a construção de edifícios e de residências horizontais tão sonhadas por casais que adquiriram seu terreno em algum dos loteamentos do perímetro urbano. Literalmente, um trabalho de tijolo por tijolo incrementando o desenvolvimento de Lages e da Serra.

Estudos do Observatório da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), ferramenta que disponibiliza indicadores e tendências, apontam que entre abril e maio o setor da construção civil apresentou saldo de 252 vagas em Lages, com acumulado de 397 admitidos, em sua maioria, por empresas de médio porte. O site não disponibiliza dados somente do mês de maio isoladamente.

Existem 281 construtoras em Lages, sendo que, deste montante, 93,6% são microempresas, responsáveis por 52,8% dos postos de trabalho. As construtoras do município absorvem a mão de obra de 1.576 pessoas, 91% do sexo masculino e 9% feminino. Deste grupo de trabalhadores, 60,7% têm escolaridade básica completa e remuneração média de R$ 1.750,33.

O Poder Público municipal tem feito sua parte e manifestado sua preocupação permanente com a empregabilidade. A Prefeitura de Lages, através da Secretaria do Desenvolvimento Econômico possui três subdivisões para atender às expectativas da população: Banco do Emprego, Sala do Empreendedor e Programa Qualifica Melhor Lages. O Banco do Emprego ajuda a puxar a fila das instituições e empresas responsáveis pelo saldo positivo de maio. No final de abril de 2019 foi divulgado o início do processo de seleção para o preenchimento de vagas na função de servente de obras para uma grande multinacional brasileira, nacional e internacionalmente reconhecida pelas suas obras.

Os 26 profissionais admitidos há cerca de três semanas via recrutamento possibilitado pelo Banco do Emprego, com cadastro digital de currículos, pré-seleção de perfil, encaminhamento para entrevistas e cessão de salas para seleções coletivas e individuais, estão atuando na execução das obras de construção de uma linha de transmissão de energia entre os municípios de Biguaçu, no litoral, e Abdon Batista, região dos Lagos.

Em maio foram contratadas 79 pessoas, e em junho 58, por intermédio do Banco do Emprego, e entrevistadas 766 em maio e 581 no mês passado. Os três ramos na ponta da colocação de empregabilidade no Banco do Emprego são comércio (vendas), serviços gerais (auxiliar), alimentação (cozinheiro) e indústria (auxiliar de produção).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apenas em 2019 (de janeiro a 30 de junho) já foram admitidas 425 pessoas através do Banco do Emprego, com encaminhamento de 4.276 candidatos para entrevistas no total neste ano. Estão cadastradas 677 empresas junto ao Banco do Emprego.

De acordo com o departamento da Diretoria de Fiscalização Tributária da prefeitura de Lages, dados reportam que existem aproximadamente 16.500 mil empresas em atividade em Lages, entre autônomos, Microempreendedores Individuais (MEIs), micro, pequenas, médias e grandes.

7.315 MEIs em Lages

O total de Microempreendedores Individuais (MEIs) inscritos ativos em Lages até 30 de junho de 2019 é de 7.315, refletindo o ânimo do lageano no próprio senso de empreendedorismo. Em junho foram feitas 177 novas solicitações de alvará (entre alterações e novos) junto à Sala do Empreendedor. O total de janeiro até 30 de junho é de 1.110, no mesmo período do ano passado o acumulado era de 823.

Em junho foram entregues 145 alvarás destas solicitações (entre alterações e novos), o total de 2019 até agora é de 900 entregas (sem contar as entregas referentes às declarações). Na mesma época do ano passado o acumulado era de 821. Destas solicitações (entre alterações e novos), um total de 108 contribuintes ainda não compareceu para a retirada de alvará dos processos findados entre janeiro e abril (caso o MEI tenha estabelecimento, cabe notificação, se é um prestador de serviços, fica inviabilizado de tirar nota fiscal).
O total de Declarações de Movimentação Econômica até 30 de junho chegou a 3.330. A título de comparação, 2.682 Declarações foram entregues no mesmo período em 2018.

Pelo Estado e no Brasil

As cidades com mais de 30 mil habitantes com o maior número de demissões (saldo negativo) em maio são, em sua maioria, da região Norte. Balneário Camboriú, Jaraguá do Sul, Mafra, Joinville, Imbituba, Concórdia e Laguna estão na lista.

Em maio, o saldo de pessoas empregadas com carteira assinada em Santa Catarina, teve uma leve queda de 0,06%. Em 2019 Santa Catarina abriu um total de 48.469 vagas de emprego. O número representa alta de 2,42% em relação ao mesmo período de 2018. Nos últimos 12 meses foram abertas 52.220 vagas com carteira assinada no Estado.

No mês de maio, os setores que apresentaram as maiores altas em relação ao mês de abril foram os de serviços industriais de utilidade pública e a administração pública, com aumentos de 1% e 0,68%, respectivamente. Em números absolutos, o setor de serviços foi o que mais contratou, com a abertura de 1.220 postos de trabalho formais. Deste total, 720 vagas se concentraram no segmento imobiliário. Em todo o Brasil, foram abertas 32.140 vagas de empregos em maio, representando alta de 0,05%.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: participe e vote em quem você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2019

Lages a Nova Iorque com a Azul, a partir de junho

Internautas reagem a Mario Motta na bancada do ‘Jornal Nacional’