O crime ocorreu em 2016 no interior de Alfredo Wagner, na Grande Florianópolis. A vítima foi morta asfixiada.

Por LD,
em Lages/SC 

📷 Divulgação
Um homem que não teve o nome e nem idade divulgados foi condenado nesta segunda-feira (1º) a uma pena de 12 anos de prisão, inicialmente em regime fechado, pelo crime de feminicídio contra a esposa, morta asfixiada em 2016, no interior de Alfredo Wagner, na Grande Florianópolis.

O julgamento ocorreu nesta segunda-feira no Tribunal do Júri da comarca de Bom Retiro, na Serra Catarinense, na única sessão prevista neste mês. Os jurados reconheceram, por maioria, a materialidade e autoria do fato e as qualificadoras da asfixia e o feminicídio.

O juiz Edison Alvanir Anjos de Oliveira Júnior aplicou a pena base do homicídio, que é de 12 anos, e com o agravante de o crime ser cometido contra uma mulher, a pena foi aumentada, porém, foi atenuado por conta da confissão espontânea do réu, mantendo assim a pena inicial.

O réu não tinha antecedentes criminais e sua vida social era de um homem normal. Em tese, teria cometido o crime por ciúmes, mas não há nenhuma prova específica, tampouco fatos que provem o desejo de matar.

*Com informações de Taina Borges, do TJ-SC Comarca de Lages