O navegador “dakariano”, Gustavo Gugelmin, trocou de banco para disputar o Rally Minas Brasil. Ele assumiu a pilotagem do UTV Can Am Marverick X3 e mostrou porque é um competidor consagrado..

Por ISIS MORETTI da LIBERDADE DE IDEIAS,
em São Paulo/SP 

📷 DFotos / Divulgação

O 2º Rally Minas Brasil abriu mais uma temporada do Brasileiro de Rally Cross Country (CBA), Brasileiro de Rally Baja e Mineiro de Rally. A prova foi realizada neste último final de semana (16 e 17 de março), na cidade de Patos de Minas (MG), e reuniu um grid de 107 veículos, entre Motos, Quadriciclos, UTVs e Carros. Organizado pela Rallymakers, o evento foi um grande sucesso e recebeu muitos elogios dos participantes. Estiveram representados nesta competição, 12 Estados e 46 cidades.

O parque de apoio do 2º Rally Minas Brasil foi montado no Centro de Convenções e Eventos UNIPAM, onde a população teve livre acesso para visitar o evento e conhecer de perto a estrutura de rali de abrangência nacional.

Aceleradas, freadas, retomadas de curvas, inúmeras trocas de marchas e o desejo de subir no pódio... Com esta motivação, todos os participantes fizeram bonito dentro das trilhas e esbanjaram habilidade e experiência nos mais variados tipos de terreno. De Lages, seguiu o navegador campeão do Rally Dakar (2017) Gustavo Gugelmin que, para essa competição desafiou suas habilidades e pilotou um UTV Can Am Maverick X3. Se houvesse quem duvidasse da capacidade do competidor em pilotar, enganou-se redondamente. Experiente, o competidor esbanjou técnica e ousadia durante os 300 quilômetros de especiais (divididos em dois dias disputas) e conquistou o terceiro lugar na classificação geral e foi campeão da categoria UTV – Super Production.

“Foi muito legal viver essa experiência e eu me diverti bastante. A prova estava muito bem levantada, com trilhas fantásticas para acelerar. O meu UTV correspondeu as expectativas e este resultado me deixou bastante empolgado. Mas, é claro, que não abandonarei minha posição de navegador e continuarei competindo junto com o Reinaldo Varela, o Rally dos Sertões e etapas do Mundial”, disse Gugelmin, que fez o tempo total de 04h21min23seg.

Ainda de Lages, teve o piloto Cesar Augusto Bogo, que conquistou o décimo lugar na classificação geral entre as Motos, e a terceira posição da categoria Production Aberta, no tempo total de 04h56min16seg.

O roteiro adentrou o município de Presidente Olegário, passando pelas regiões de Tiririca, do Facão, da Bananeira, do Pé do Morro, do Cruzeiro da Prata, de Boa Vista, do Piçarrão, de Vargem Grande e da Lobeira. Apresentando “de tudo um pouco”, o trajeto passou por propriedades particulares de produção agrícola, serras e estradas vicinais. Entre longas retas (por muitas vezes quebradas por curvas), os off-roaders encararam erosões, pedras, trial, areia, lombadas (e saltos), travessia de rios, poças de lama (e barro), curvas em gancho e 90 graus, além de subidas e descidas.

Para o diretor executivo da Rallymakers, Fernando Bentivoglio, o 2º Rally Minas Brasil cumpriu o seu papel e foi uma digno de uma etapa de abertura de campeonato. “Encerramos a competição com o sentimento de dever cumprido, e a escolha por Patos de Minas não poderia ter sido mais acertada. A região tem muitas trilhas e podemos escolher as melhores. E ainda, tivemos uma ajuda de São Pedro que, no segundo dia de rali, mandou um pouco de chuva para transformar o terreno e proporcionar mais um tipo diferente de obstáculo aos competidores”, encerrou Bentivoglio.

O 2º Rally Minas Brasil é uma realização da Rallymakers, com apoio da Prefeitura Municipal de Patos de Minas e Prefeitura Municipal de Presidente Olegário

Supervisão: CBM, CBA, FMEMG, FMA e RCMG