Casos vem aumentando nos últimos meses, o último ocorreu nesta terça-feira (15), na UBS do bairro Vila Mariza.

Por LD,
em Lages/SC



📷 Arquivo / ASCOM Pml

A onda de casos de agressões verbais e físicas contra servidores municipais da área de saúde de Lages nos últimos meses, fez com que em sinal de protesto, as Unidades Básicas de Lages (UBSs) fechassem na tarde desta terça-feira (15) por cerca de 01h30 – das 15h30 às 17h.

Aliás, o último caso ocorreu nesta terça-feira (15) na UBS do bairro Vila Mariza, na zona Norte de Lages, quando um paciente teria agredido uma enfermeira e uma médica. Assim como nesse caso, e em todos os outros, foram registrados boletins de ocorrência, explicou a Secretária de Saúde de Lages, Odila Waldrich. “Estamos registrando o Boletim de Ocorrência para que as autoridades policiais possam investigar e punir os agressores”, destaca.

O protesto também foi executado no Pronto Atendimento Tito Bianchini, no Centro, onde os servidores fecharam as portas por meia hora, das 15h30 às 16h. Todos os servidores desses locais, continuarão no estabelecimento neste horário, mas não irão realizar nenhum trabalho nesse período.

A secretária salienta que “não é na agressão que vamos resolver os problemas da saúde pública”.

📷 Divulgação