Vândalos furtam grades de bocas de lobo e causam prejuízos ao Poder Público e, em consequência, à comunidade


A despesa para a prefeitura, na reposição do item subtraído, é de R$ 150 a cada nova grade de proteção de tamanho maior, e em média R$ 100 a menor. Dinheiro dos cofres públicos, provenientes dos impostos pagos pela própria comunidade.

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Alexsandro de Souza / Divulgação

Motoristas que passavam ou estacionaram à margem da rua Coronel Lica Ramos, esquina com a Porto União, no bairro Sagrado Coração de Jesus, na manhã desta quinta-feira (29 de novembro), se surpreenderam negativamente próximo ao acesso à avenida Presidente Vargas, assim como os pedestres pela calçada, com um buraco profundo na rua, pois havia uma boca de lobo desprotegida, sem tampa, furtada por vândalos que devem ter agido à noite ou durante a madrugada, provocando riscos de quedas de pessoas ou danos em veículos.

Comunicada, a Secretaria de Planejamento e Obras, por se tratar de um mecanismo de drenagem pluvial, enviou operários para resolver o problema. Em torno de 50 minutos após o acionamento, a equipe estava no endereço informado. Colocou as novas grades de ferro e concretou a estrutura para fixá-la de forma adequada.

Este é o terceiro caso de furto de grades metálicas em bueiros somente esta semana - ruas Afonso Pena (Sagrado), esquina da Coronel Lica Ramos com a Porto União e entre a Boanerges Lopes e Manoel da Silva Ramos (Centro), segundo o secretário de Planejamento e Obras, Claiton Bortoluzzi. A causa provável é a venda deste metal clandestinamente, com ganho por peso, embora em valor irrisório.

A despesa para a prefeitura, na reposição do item subtraído, é de R$ 150 a cada nova grade de proteção de tamanho maior, e em média R$ 100 a menor. Dinheiro dos cofres públicos, proveniente dos impostos pagos pelo bolso da própria comunidade com a atividade da indústria, do comércio, da prestação de serviços e do consumo.

Praticamente todos os dias os servidores municipais se deparam com casos de desrespeito e depredação ao patrimônio público, sendo que os investimentos para restabelecimento são gerados do bolso da população. São situações de destruição de lixeiras de plástico e de concreto e de abrigos de ônibus, pichações de prédios públicos, quebra de lâmpadas em postes, xepas de cigarro nos canteiros dos semáforos, pisoteamento e plantas arrancadas em praças, acidentes de trânsito com batidas em postes, deterioração de brinquedos em parques, quebra e sujeira em banheiros do Terminal Urbano e Rodoviária. “Por isto pedimos que todos colaborem, ajudem a manter a ordem, limpeza, organização e preservação do bem que é de todos. Fatos assim são lamentáveis. Precisamos dar bons exemplos aos mais jovens e fazer uma cidade boa de se viver a cada atitude simples”, salienta Claiton.

Para denunciar estes delitos ao presenciá-los ou por ter conhecimento, o cidadão deve chamar Ronda Tática municipal, da Coordenação de Segurança e Trânsito, pelo número 98427-1052 (24 horas), que aceita ligações a cobrar, ou a Polícia Militar (PM) pelo número 190 (chamada gratuita). E se a solicitação for para reconstituição de algum equipamento público, a pessoa pode ligar para o número da Secretaria competente - Semasa: 115 ou 3224-4855; Serviços Públicos e Meio Ambiente: 3225-6990; Iluminação pública: 0800 648 0201 ou 3222-8201, e Obras: 3224-0033 ou 3225-3111.



Nenhum comentário