Curso técnico em processamento de madeira do Senai Lages é um dos únicos no país

Nesta terça-feira, 27, empresários e gestores do ramo conheceram a ementa do curso, pois o foco, nesse primeiro momento, é na indústria.

em Lages/SC

📷 Catarinas Comunicação / Divulgação
O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) de Lages e Caçador, no Meio-Oeste, são umas das poucas instituições de ensino que oferecem o técnico em processamento de madeira no Brasil. Nesta terça-feira (27), empresários e gestores do ramo conheceram a ementa do curso, pois o foco, nesse primeiro momento, é na indústria. O profissional formado por ele estará capacitado para coordenar e executar processos de transformação da madeira conforme o tipo de produto, seguindo normas técnicas ambientais, de qualidade, saúde e segurança.

A demanda levantada no ano passado pelo Sindimadeira é a mesma de outras regiões de Santa Catarina. Para atender esse público específico, 16 empresas, a unidade do Senai em Lages e de outras partes do estado formaram um comitê técnico setorial para elaborar a ementa e conteúdo programático do curso.

O engenheiro mecânico Gilberto Ortiz, da Blue Florest, foi um dos integrantes da equipe. Atuante no setor há dez anos, ele reforça que a mão de obra especializada está cada vez mais escassa e necessária. “O homem para fazer o trabalho braçal vai deixar de existir. Os novos profissionais terão que exercer atividades que demandam pensamento inovador, criativo e utilizem as novas tecnologias”.

Ele e o vice-presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) para a Serra Catarinense, Israel Marcon, comungam do mesmo pensamento de que é preciso qualificar essas pessoas para um futuro que está muito próximo. “É fundamental acompanhar as mudanças de perfil que o mercado exige para se manter competitivo. A modernização dos processos requer profissionais capacitados.”, frisa Israel.

Para ingressar nesse curso é preciso estar cursando a partir do segundo ano ou ter concluído o ensino médio. As aulas iniciam já em fevereiro de 2019 e terão três semestres de duração.  O diretor do Senai em Lages, Telmo Coelho, diz que a parte teórica será oferecida na unidade e as atividades práticas nos parques fabris das empresas da Serra Catarinense.  “Os alunos irão compreender e executar atividades específicas que vão da entrada da matéria-prima no pátio até a saída de produtos, seja lamina ou a madeira serrada, por exemplo”.  




Nenhum comentário