Prefeito recebe projeto que visa pavimentar ruas do Guarujá


O chefe do executivo foi receptivo ao projeto e prometeu estudar, juntamente com os secretários municipais, a melhora forma de encaminhá-lo para que sua execução seja possível.

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Greik Pacheco / ASCOM PML

O prefeito Antonio Ceron recebeu em seu gabinete, nesta segunda-feira (29 de outubro), o presidente da Associação de Moradores do bairro Guarujá, Luiz Borges, acompanhado da deputada federal Carmen Zanotto. Na pauta, a discussão do projeto “Guarujá Sem Poeira”, que tem por objetivo pavimentar o maior número possível de ruas do bairro, através da implantação de uma fábrica de lajotas, com confecção própria.

Na reunião também estiveram presentes os secretários do Planejamento e Obras, Claiton Bortoluzzi, e da Assistência Social e Habitação, Samuel Ramos, e os vereadores João Maria Chagas e Maurício Batalha. 

A aquisição dos equipamentos, com uma máquina para fazer lajotas ou paver orçada em aproximadamente R$ 350 mil, e outros trâmites legais para a instalação da fábrica, seria viabilizada através de emenda parlamentar da deputada Carmen Zanotto. Segundo o projeto, a gestão da fábrica seria pela Associação de Moradores, e caberia à prefeitura contrapartida de infraestrutura, como a tubulação e o nivelamento das ruas a serem pavimentadas.

O bairro Guarujá é um dos que mais crescem na cidade, com mais de 15 mil habitantes, de acordo com a Associação. “Estamos em constante crescimento, com estimativa de aumento de aproximadamente dez mil residências em três anos, considerando o grande volume de terrenos e loteamentos aptos para construções futuras. Isso vai gerar um grande impacto na qualidade de vida desses novos moradores, por isso temos que estar preparados com infraestrutura adequada”, afirma o presidente Luiz Borges.

Segundo ele, a fábrica de lajotas teria inúmeros benefícios, como a diminuição da constante manutenção das ruas não pavimentadas, acabar com a poeira no bairro e principalmente diminuir os custos na contrapartida dos moradores na pavimentação das suas respectivas ruas. “Fizemos as contas e, com o projeto Minha Rua, que está em vigência, o custo fica em torno de R$ 5 mil para cada morador. Com a fabricação própria da matéria prima, este valor cairia para R$ 1,6 mil aproximadamente”, diz.

O prefeito Ceron foi receptivo ao projeto e prometeu estudar, juntamente com os secretários municipais, a melhor forma de encaminhá-lo para que sua execução se torne possível. “Não podemos beneficiar apenas um bairro, e sim atender toda a cidade, que carece de pavimentação na maioria das ruas, pois cerca de dois terços das vias ainda não são pavimentadas. Mas o projeto é interessante e podemos estudá-lo e aperfeiçoá-lo para que seja benéfico a todos. Também precisamos ter os recursos suficientes para dar a contrapartida necessária”, enfatiza.

A prefeitura já está em execução de projeto para a pavimentação de 76 ruas em quase todos os bairros, contemplando as vias com maior fluxo de veículos e por onde passam as linhas de ônibus coletivo.







Nenhum comentário