Portões abertos para uma das maiores feiras do agronegócio, a Expolages


Passados 98 anos da primeira exposição, feira mostra seu poderio e agropecuaristas arregaçam as mangas para difundir a cultura serrana na criação e ganhar dinheiro com animais de fina genética e alta linhagem.

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Marcelo Pakinha / ASCOM PML

Os plantéis de rebanhos bovinos de fazendas e cabanhas de Lages e de outros municípios da Serra são reconhecidos nacionalmente pela qualidade genética e força pastoril. A pecuária e a agricultura, principalmente a de grãos, giram a roda da economia com maestria, disparam lucratividade, renda e emprego, elevando Santa Catarina a patamares longínquos, com gado e alimentos de excelência. E para circular a engrenagem do agronegócio foi aberta oficialmente, na noite desta quinta-feira (11 de outubro), a nova edição da Expolages, com o slogan “A tradição do agronegócio aliada à força empresarial”, evento que se desdobra desde o dia 9 até o próximo domingo, 14, no Parque de Exposições Conta Dinheiro. A prospecção é movimentar milhões de reais em negociações neste período. Autoridades políticas e administrativas, personalidades do ramo e profissionais de imprensa prestigiaram a solenidade de abertura no pavilhão José de Arruda Ramos, entre as quais o prefeito Antonio Ceron; presidente da Associação Rural de Lages, Márcio Pamplona; presidente da Associação Empresarial de Lages (Acil), Sadi Montemezzo; presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Santa Catarina (Fapesc), Jozé Zeferino Pedroso; secretário de Estado da Agricultura e Pesca, Airton Spies, e o secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR), Juarez Mattos.

Na cerimônia, o prefeito Antonio Ceron assinou e entregou o Termo de Convênio junto à Associação Rural e a Acil, no valor de R$ 125 mil, incentivo do Município ao segmento principal da Expolages. Já o Governo do Estado oficializou a destinação de recursos na ordem de R$ 20 mil à Associação Rural de Lages, através da Secretaria de Estado da Agricultura, em Termo de Fomento celebrado entre a ADR e a entidade local. A pecuarista Vânia Andrade Ramos recebeu uma homenagem que marcou a emoção no início do evento.

Ceron recordou sua trajetória quando à frente da Secretaria de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, de 2007 a 2010. Entre suas principais realizações estão a conquista para o Estado, do Selo de estado Livre da Febre Aftosa, e a criação do Programa SC Rural, de capacitação de jovens agricultores. “Presenciamos e fomos responsáveis por expressivas decisões que melhoraram a vida dos produtores. Recordo-me de visita à Nova Zelândia para conhecer melhor instrumentos tecnológicos e pastagem para gado leiteiro. A Expolages coloca Lages mais uma vez em evidência e alavanca a economia, potencializa suas aptidões tradicionais e de eficiência na pecuária.”

Um dos feitos a serem mencionados é o Projeto de Identificação de Bovinos e Bubalinos em Santa Catarina (PIB-SC), a popular “brincagem”, sistema de identificação e monitoramento que permite, ao serviço de saúde animal, maior controle e rastreabilidade da produção de bovinos e bubalinos, promovendo a segurança sanitária no Estado. Com esta identificação é possível saber de qual município e de qual propriedade provém cada animal ou a sua carne, caso já tenha sido abatido para consumo.

Márcio Pamplona não abriu mão de também elevar Santa Catarina. “Dentro do Brasil, Santa Catarina é uma ilha de prosperidade, desenvolvimento e tecnologia. Somos um Estado diferente. Somos o melhor destino turístico, o melhor lugar para se morar. Não houve declínio ou atraso na nossa pecuária porque as entidades, produtores e governo foram atrás de mecanismos de melhoria e qualidade. Somos criadores de animais competitivos, inúmeras riquezas naturais, um Estado invejável.” Enquanto isto, Montemezzo resume: “A Expolages é uma grande chance de se conhecer os produtos feitos em Lages e conceber grandes negócios. São mais de 50 segmentos em exposição.” Por sua vez, Jozé Zeferino conclui que, “Lages é a Meca do gado de corte de Santa Catarina”.

Estatísticas relevantes foram compartilhadas pelo secretário Spies: “O Estado se destaca, ainda, na soja (117 milhões de toneladas), em que já superamos os Estados Unidos. O agronegócio produz 24% do PIB e emprega 30% dos brasileiros. Em Santa Catarina, é responsável por 29% do PIB, E 60% deste PIB estão associados à proteína animal. Outro fator deste sucesso do estado são os 1,6 milhão de turistas no Estado em janeiro e fevereiro e, por último, o Governo preocupado com a austeridade fiscal, sem aumento de tributos. O Estado cresceu 4,3% em 2017. Tem taxa de 3% de desemprego, metade da média nacional.” Spies lembrou da integração entre o rural e o urbano, com efeito multiplicador. “Investimos R$ 700 milhões em pesquisa, extensão, defesa pecuária e fomento.”

Mais de 70 expositores

Um dos maiores eventos do segmento em Santa Catarina, a Expolages abriga a exposição e negociação para representação e venda de máquinas, equipamentos, implementos, imóveis e alimentos, e divulgação de entidades empresariais, instituições de ensino e de crédito, tecnologia, entre outros. Nos estandes multissetoriais estarão 71 expositores. A Associação Empresarial de Lages (Acil) é responsável pelos pavilhões Tito Bianchini e Afonso Ribeiro, os quais tiveram a totalidade dos espaços comercializados.

A feira multissetorial terá exposições, palestras e sessão de negociação em sua programação. Na exposição de bovinos estarão 14 associações de raças e entidades, seis de equinos e duas de ovinos. Os julgamentos irão de quinta a domingo, com premiações. Entre as raças bovinas estão HerefordBraford, Crioula, Senepol, BrangusLimousinAberdeen Angus, Charolês, Devon, Simental, Simbrasil, Borregas Rústicas e Campeira; zebuínos; ovinos DorperSuffolkHampshire DownIle de France e Texel. Haverá leilões de reprodutores ovinos PO (Puro de Origem) e PC (Puro por Cruzamento) e de cavalo Mangalarga Marchador, Quarto de Milha e Paint Horse, Campeonato de Raça Crioula e provas de equinos para todas as raças. Na hora da decisão pela compra de animais são fundamentais critérios como produtividade, genética, precocidade reprodutiva para gerar outro animal no menor tempo possível, dentição e pigmentação de pelo.

O público tem entrada franca. A Expolages é realizada pela Associação Rural de Lages, Sindicato Rural de Lages e Acil, com apoio da Faesc, Senar, Prefeitura de Lages, Fiesc, Funturismo, Agência de Desenvolvimento Regional (ADR), Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, e Governo de Santa Catarina.

Feira da Novilha e Gado Geral

Nesta sexta (12), a partir das 14h, no Conta Dinheiro, será promovida a Feira da Novilha e Gado Geral, na pista José Arruda Ramos, com mais de 800 animais à venda - prazo de pagamento de 60 dias - financiamento bancário. Às 20h haverá o leilão Reprodutores de Ovinos PO e PC, no Pavilhão Ovinos, e também às 20h, na pista José Arruda Ramos, Leilão Mangalarga Marchador. No sábado (13), às 13h30min, Leilão DevonHerefordBrafordAberdeen AngusBrangus, Charolês, Simental, Simbrasil, Limousin, e zebuínos. Às 18h, Leilão Quarto de Milha e Paint Horse, e às 20h 2º Leilão “Pra Toda Lida” Raça Crioula (Animais Domados). Os três eventos na pista José Arruda Ramos, com transmissão pelo canal Lance Rural. Informações: 3225-3802/98401-2000/98435-6489 e www.expolages.com.br.

Por trás de uma feira poderosa

Em 1920 aconteceu a primeira exposição, no antigo Posto Zootecnológico, onde atualmente está situado o Ginásio Jones Minosso, com intuito de divulgar a qualidade dos animais de raças europeias, seja do continente ou da Grã Bretanha. A Associação Rural de Lages foi fundada em 1939, passando a organizar as exposições. Os eventos migraram para o Posto Zootécnico do Ministério da Agricultura, no bairro Morro do Posto, e desde 1950 ocorrem no Parque de Exposições Conta Dinheiro, tornando-se feira multissetorial na década de 1970.

O mercado

O agronegócio deverá encerrar o ano com exportações de US$ 100 bilhões. O setor contribuiu significativamente para a recuperação do Produto Interno Bruto (PIB) do país, que, em maio de 2016, estava em -5,9%, passou a 1% de crescimento no ano seguinte e deverá encerrar 2018 com algo em torno de 1,4%.  O agro é um dos principais pilares da economia, representando cerca de um quatro do PIB e quase 50% das exportações.

O estudo Projeções do Agronegócio, da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (SIRE/Embrapa), apontam que o Brasil irá produzir 69 milhões de toneladas a mais de grãos nos próximos dez anos, saltando de 232 milhões de toneladas para de 302 milhões de toneladas em 2027/2028, puxadas pela soja (156 milhões de toneladas) e o milho (113 milhões de toneladas). A produtividade é considerada responsável pelo aumento de 30% da produção de grãos.
As carnes bovina, suína e de frango devem passar dos 27 milhões de toneladas para 34 milhões de toneladas, alta de 27%. Incremento atrelado à introdução de novas tecnologias. A carne bovina terá aumento de dois milhões de toneladas, somando 12 milhões de toneladas.

As exportações de carnes alcançarão 8,8 milhões de toneladas em 2027/2028, aumento de 2,3 milhões de toneladas. A carne bovina ficará em 2,8 milhões de toneladas exportadas. China, Estados Unidos, África e Oriente Médio devem absorver 44% das exportações de carne bovina.



Nenhum comentário