Palmeiras bate o Colo-Colo e volta à semifinal da Libertadores após 17 anos


Equipe alviverde venceu a equipe chilena novamente por 2 a 0, desta vez no Allianz Parque, em São Paulo. Equipe aguarda a definição de Cruzeiro e Boca Juniors que jogam nesta quinta-feira (4).

Por PAULO FAVERO do ESTADÃO,
em São Paulo/SP

📷 Alex Silva / Estadão

Após 17 anos o Palmeiras voltou à semifinal da Copa Libertadores, torneio que já conquistou em 1999 e vai em busca do bicampeonato nesta edição. Quis o destino que o time entrasse no seleto grupo dos melhores da América nas mãos do técnico Luiz Felipe Scolari, que traz o DNA da competição em seu sangue. Ontem, o alviverde despachou o Colo-Colo e agora aguarda seu adversário.

No jogo de ida, no Chile, o Palmeiras venceu por 2 a 0 e desta vez, no Allianz Parque, jogou concentrado e ganhou por 2 a 0. O time vai enfrentar o vencedor do confronto entre Boca Juniors e Cruzeiro, que se decide hoje no Mineirão - em Buenos Aires, a equipe argentina marcou 2 a 0 e saiu com boa vantagem.

Felipão trabalhou dois anos e meio no futebol chinês e retornou ao Brasil no final do ano passado. Recebeu diversas propostas, muitas vantajosas financeiramente, mas só balançou quando chegou o convite do Palmeiras, clube onde havia trabalhado com sucesso entre 1997 e 2000. Teve ainda uma segunda passagem de 2010 a 2012 e nunca escondeu seu carinho pelo clube.

Em pouco mais de dois meses de trabalho, conseguiu colocar o time na liderança do Campeonato Brasileiro e na semifinal da Libertadores, competição que se tornou especialista e que mantém um ótimo aproveitamento - são 61 partidas disputadas, com 34 vitórias, 13 empates e 14 derrotas.

Em seis participações como técnico, em cinco delas chegou até a semifinal. Felipão sempre destaca que a Libertadores é um torneio diferente e conseguiu colocar isso na cabeça de seus jogadores. Tanto que apesar da boa vantagem conquistada na casa do adversário, em nenhum momento o Palmeiras deixou a seriedade de lado.

Desde o primeiro minuto o time se concentrou na marcação e evitou se expor. Nos primeiros minutos ficou esperando que o Colo-Colo tomasse as rédeas da partida (o time chileno tinha mais posse de bola), mas essa presença era pouco eficiente. Então o Palmeiras passou a apostar nas arrancadas de Dudu.

O time brasileiro teve uma chance com Mayke, que chutou mal, e outra com Borja, que cabeceou para o alto. Até que aos 36 Dudu correu com a bola e chutou de pé esquerdo, de fora da área, fazendo um lindo gol e abrindo o placar. O atacante comemorou com a torcida e depois fez questão de dar um abraço em Felipão.

O único susto que o Palmeiras levou no primeiro tempo foi logo depois do gol, quando a bola sobrou para Insaurralde na pequena área, ele mandou para o gol, mas Weverton fez excelente defesa. E com isso time foi para o vestiário com a vitória parcial e sensação de que a fatura já estava liquidada.

Na etapa final, logo no início Dudu sofreu falta de Opazo dentro da área e o juiz marcou pênalti. O colombiano Borja cobrou e ampliou a vantagem da equipe. A partir daí, o Colo-Colo tentou diminuir nos chuveirinhos na área, sua única jogada de perigo, e o Palmeiras desperdiçou bons contra-ataques. E nas arquibancadas, a torcida foi fazendo festa e já sonhando com Boca Juniors ou Cruzeiro na semifinal.

Ficha técnica
Palmeiras 2x0 Colo-Colo – Taça Libertadores da América
Weverton
Orion
Mayke
Zaldivia
Antônio Carlos
Barroso (Morales)
Edu Dracena
Insaurralde
Victor Luís
Opazo
Thiago Santos
Carmona (Pinares)
Bruno Henrique
Baeza (Felipe Campos)
Moisés
Pávez
Willian (Jean)
Suazo
Borja (Deyverson)
Valdívia
Dudu (Hyoran)
Lucas Barríos
Técnico: Luiz Felipe Scolari
Técnico: Héctor Tapia
Cartões amarelos

Zaldivia
Gols
Dudu (36’/1ºT)

Borja (07’/2ºT)

Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Público: 37.950 pagantes
Renda: R$ 3.724.211,46
Local: Allianz Parque, São Paulo




Nenhum comentário