Leoas da Serra: referência dentro e fora das quadras

Com cerca de 500 meninas beneficiadas, o projeto social Escola de Leoas visa combater a evasão escolar, promover a inclusão social e incentivar o empoderamento feminino por meio das aulas de futsal.

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Daniel Costa / ASCOM PML

O futsal feminino de Lages, representado pela Associação Leoas da Serra, alcançou feitos significativos logo nos três primeiros anos de existência. Com o elenco repleto de atletas experientes, de Seleção Brasileira e com nomes consagrados como Amandinha, eleita a melhor jogadora do mundo pela quarta vez consecutiva, o time conquistou títulos de nível regional, estadual e nacional.

Campeonato Catarinense sub-20, Jogos Universitários de Santa Catarina (Jucs), Joguinhos Abertos de Santa Catarina, Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), Copa do Brasil, Copa Sul Brasileira, Supercopa Brasil e Taça Brasil são alguns dos exemplos. O alto nível de desempenho ultrapassou fronteiras e as projetou para competições internacionais. Em outubro deste ano, de 7 a 14, em Assunção, no Paraguai, o time lageano representará o Brasil na Taça Libertadores da América de Futsal Feminino. 

O talento e a visibilidade da equipe as tornaram referência dentro e fora das quadras para meninas que sonham em trilhar o mesmo caminho. Por meio do projeto social Escola de Leoas, 25 atletas da Associação Leoas da Serra ministram aulas de futsal para meninas matriculadas nas redes pública e privada de ensino.

Atualmente, o projeto possui dez polos, dos quais, oito são escolinhas com fins educativos e recreativos e dois de treinamento e aperfeiçoamento voltado para a profissionalização. Com o objetivo de combater a evasão escolar, promover a inclusão social e incentivar o empoderamento feminino, cerca de 500 meninas de três a 17 anos são beneficiadas atualmente.

A coordenadora do projeto e treinadora das categorias de base da Associação, Rafaela Nicolete,explica que cada polo possui uma monitora registrada no Conselho Regional de Educação Física (Cref) e geralmente conta com o apoio de uma ou mais atletas auxiliares.

“O projeto surgiu em 2015 junto à Associação Leoas da Serra. No início tínhamos apenas um polo, ao lado da Paróquia São Judas. O público aderiu tão rápido que, de 20 meninas, aumentou para 90. Então, tivemos a ideia de ampliar o número de polos nas escolas.Como são dois tipos de polos, os objetivos são múltiplos: proporcionar qualidade de vida, fomento aos estudos e oportunidade de desenvolvimento profissional através do esporte”.

O estímulo familiar na prática do esporte

Além de participarem da Escola de Leoas, Agatha da Silva Cândido, de oito anos,Milena Agostinho e Laísa Chaves, ambas de 14, possuem outro ponto em comum: o incentivo familiar na prática do esporte.

Para Agatha, o interesse pelo futsal surgiu ao assistir os treinamentos da prima nas categorias de base da Associação Leoas da Serra. Quando ela decidiu deixar de praticar balé para se dedicar ao futsal, a mãe Evelin Luiz da Silva, 28, manifestou total apoio.

“Ela está no projeto desde os cinco anos de idade. Por ser criança, hoje frequenta um dos polos educativos e recreativos. Mas é perceptível como ela adora o esporte. Os minutos que antecedem os treinos são de pura ansiedade”.

Para a treinadora Rafaela, entre as meninas do polo de treinamento e aperfeiçoamento, Milena e Laísa são duaspromessas do futsal.

“A Milena está no projeto desde o primeiro polo. Ela já treinou na equipe principal das Leoas da Serra cerca de quatro vezes, até que em março deste anoparticipou de um amistoso contra Rondofrio. A Laísa é outra que tem demonstrado bastante qualidade”.

Milena cresceu acompanhando partidas de futebol junto ao pai,Marcos Agostinho, pelos campos e quadras de Lages.

“Além de ter colaborado para que eu pudesse despertar essa paixão pelo futsal, ele também é um dos meus principais incentivadores. Essas oportunidades na equipe principal significam o reconhecimento do trabalho que tenho feito até o momento. O sentimento é de satisfação e gratidão”. 

A emoção da melhor do mundo

Natural de Fortaleza, no Ceará, Amanda Lyssa, ou apenas Amandinha, foi eleita recentemente a melhor jogadora do mundo pelo quarto ano consecutivo. Estudante de Fisioterapia na Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), em Lages, ela desenvolveu trabalhos de estágios na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). E para ela, este contato tão próximo lhe dá ainda mais inspiração a continuar defendendo as Leoas e a bandeira de Lages.

“Fui uma oportunidade muito especial e gratificante como pessoa e atleta. Mudou a minha forma de enxergar as coisas. Para os alunos, as coisas mais simples, apenas um sorriso, bastavam para lhes fazer felizes. E com eles aprendi que você pode fazer a alegria e melhorar o dia de alguém”.

Amandinha sempre recebe propostas de outros clubes, inclusive do exterior. Mas por tudo o que tem vivido em Lages, ela tem o desejo de permanecer na cidade.

“Eu nunca tinha dado aula em escolinhas, e está sendo muito enriquecedor para mim. Tenho a oportunidade de ver nos olhos das meninas o quanto elas sonham e admiram as Leoas da Serra. Isso não tem nada que pague. É uma das coisas que me faz permanecer em Lages, essa cidade maravilhosa. Quero permanecer aqui, concluir a minha faculdade e estar perto de crianças e pessoas que querem conquistar sonhos”.

O surgimento da Associação Leoas da Serra

O time das Leoas da Serra nasceu de um projeto experimental junto ao Inter de Lages em março de 2013, quando o diretor Mauricio Neves de Jesus criou o Inter de Lages Futsal Feminino.Em fevereiro de 2015 foi fundadaa Associação Leoas da Serra.

A primeira presidente da Associação foi a ex-atleta Geane Ferreira de Jesus, a Gi Morena, e o primeiro gol da história da Associação foi marcado por Greice, na goleada de 4 a 1 sobre a Mecânica Brasil, na Copa Pinhão de 2015.

Manutenção do projeto social Escola de Leoas

Em 2016, o Ministério do Esporte aprovou o Projeto Escola de Leoas para buscar recursos pela Lei Federal de Incentivo ao Esporte. Pessoas físicas podem doar 6% do Imposto de Renda e as empresas tributadas por Lucro Real até 1%. Dos R$ 900 mil previstos, cerca de R$ 540 mil devemser liberados ainda este ano. O valor será utilizado para efetuar o pagamento de professores e compra de material.

Além dos recursos federais, as Leoas da Serra contam com 30 patrocinadores ou apoiadores, como Prefeitura de Lages, Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac) e outras empresas de vários segmentos que contribuem para o sucesso do projeto. Outras ações das Leoas ocorrem em escolas e cidades da região.

Apenas no último fim de semana, elas estiveram em Urupema para um amistoso contra o time de futsal feminino da cidade e participaram do Dia da Família na Escola em uma unidade no bairro Tributo, em Lages. Em ambos os eventos, muitas pessoas, fotos, mensagens de fé e emoção.

Os oito polos educativos e recreativos do Projeto Escola de Leoas:

·        Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Lages (Apae/Lages) - Escola Estadual
Endereço: R. Joaçaba, 280, Centro. Monitora: Greice. Turmas: 25 alunas.                                         
Segunda : 17h30min às 18h45min. De 12 a 16 anos. Auxiliares: Kawane e Gy.
Quarta: 17h30min às 18h45min. De 6 a 11 anos. Auxiliares: Mayara e Izabelly.

·        Escola de Educação Básica Lúcia Fernandes Lopes - Escola Estadual
Endereço: R. São Luís Gonzaga, 2-4, Santa Catarina. Monitora: Diana. Turmas: 30 alunas.                                         
Segunda : 17h30min às 18h30min. De 6 a 11 anos. Auxiliar: Thaís.
Quarta: 17h30min às 18h30min. De 12 a 16 anos. Auxiliar: Thaís.

·        Escola de Educação Básica Francisco Manfrói - Escola Estadual
Endereço: R. Clube de Regatas Flamengo, Santa Mônica. Monitora: Adriana.                    
Turmas: 30 alunas. 
Segunda: 17h30min às 18h30min. De 6 a 11 anos. Auxiliar: Isabella.
Quarta: 17h30min às 18h30min. De 12 a 16 anos. Auxiliar: Juliana.

·        Escola de Educação Básica Zulmira Auta da Silva - Escola Estadual
Endereço: Av. 1º de Maio, 1570, Popular. Monitora: Amandinha. Turma: 25 alunas.
Quarta: 17h30min às 18h30min. De 8 a 16 anos. Auxiliares: Jheniff e Luiza.

·        Escola Municipal de Educação Básica Santa Helena - Escola Municipal
Endereço: R. Pres. Kennedy, 669, Copacabana. Monitora: Mirian. Turmas: 20 alunas.
Terça: 09h30min às 10h30min. De 6 a 11 anos. Auxiliares: Julia e Rebeca.
Quarta: 13h30min às 14h30min. De 12 a 16 anos. Auxiliar: Gisa.

·        Escola Municipal de Educação Básica Mutirão -Escola Municipal
Endereço: Av. dos Pessegueiros, 1, Habitação. Monitora: Beatriz. Turma: 40 alunas.
Segunda: 17h às 18h, de 12 a 16 anos. 18h às 19h, de 6 a 11 anos. Auxiliar: Rafaela.

·        Escola de Educação Básica Industrial de Lages - Escola Estadual
Endereço: Av. Dom Pedro II, 2555, Vila Nova. Monitora: Rúbia. Turma: 35 alunas.
Quarta: 17h30min às 18h30min. De 7 a 17 anos. Auxiliar: Eduarda.

·        Centro Educacional Vidal Ramos Júnior- Escola Estadual
Endereço: R. Frei Rógerio, 347, Centro. Monitora: Leidiane. Turma: 25 alunas.
Segunda: 17h30min às 18h30min, de 6 a 12 anos. 18h30min às 19h30min, de 13 a 17 anos. Auxiliar: Amanda.

Os dois polos de treinamento e aperfeiçoamento do Projeto Escola de Leoas - Olimpíadas Escolares de Santa Catarina:

·        Ginásio de Esportes Jones Minosso
Endereço: R. José Mariano da Silva, 732-840, Universitário. Monitora: Rafaela Nicolete. Turma: 20 alunas. Segunda a Sexta: 16h às 18h. De 13 a 16.

·        Centro de Educação Profissional (Cedup) Renato Ramos da Silva
Endereço: Av. Castelo Branco, 109, Universitário. Monitor: Guilherme. Turma: 40 alunas. Sábado: 08h30min às 10h, de 13 a 15 anos. 10h às 11h30min, de 9 a 12 anos. Auxiliar: Rúbia.





Nenhum comentário