Escolas municipais que se destacaram no Ideb são reconhecidas


A maioria das escolas homenageadas está com índices muito acima do que foi estipulado na meta, superando inclusive a média nacional e estadual.

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Camana Sweilem / Secretaria de Educação de Lages

Como forma de valorizar o trabalho realizado nas Escolas Municipais de Educação Básica (Emebs) que atingiram a meta ou conquistaram resultados ainda melhores, superando dificuldades e encarando desafios em prol da qualidade no ensino, a Secretaria da Educação de Lages preparou uma homenagem. A entrega de troféus para as 15 escolas que foram destaque no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) deste ano aconteceu nesta quinta-feira (25 de outubro), durante reunião com os diretores, no Senai.

O Ideb foi criado em 2007 e reúne, em um só indicador, os resultados de dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações. Em escolas municipais ele é calculado a partir do resultado obtido na Prova Brasil, que é aplicada nos alunos do 5° e 9° ano do ensino fundamental em anos ímpares. A prova tem questões de Língua Portuguesa e Matemática.

Nos anos pares são divulgadas as médias de cada unidade escolar, apontando os indicadores educacionais, como evasões, repetências e frequências, que também são consideradas para obter o índice. De acordo com as notas e indicadores, é estabelecida uma meta para cada escola, que deverá ser alcançada ou superada no ano seguinte. “Comemoramos os resultados, pois a maioria das escolas homenageadas hoje está com índices muito acima do que foi estipulado, superando inclusive a média nacional e estadual. Isso é fruto do trabalho de gestão em equipe das escolas”, comenta o diretor de ensino, Carlos Eduardo Canani.

Para a secretária da Educação, Ivana Michaltchuk, toda a comunidade escolar deve tomar conhecimento do quanto suas respectivas escolas estão avançando nos índices. “Que isso sirva de exemplo para outras escolas e incentivo a melhorar cada vez mais nos anos seguintes”, diz.
A unidade que obteve o maior índice foi a Emeb Ondina Neves Bleyer, do bairro Sagrado Coração de Jesus. A meta para os anos iniciais era atingir um índice de 6.6 neste ano, mas acabou superando e alcançando média 7.0. Outras escolas conseguiram excelentes resultados, como a Emeb São Vicente, que tinha meta de 5.9 e atingiu 6.7 e a Emeb Frei Bernardino, com meta de 5.0 e conseguiu atingir 6.8. “Esses são índices de escolas de países desenvolvidos, de primeiro mundo, motivo para se comemorar”, conclui Carlos Eduardo.

Confira os índices de cada escola premiada

Emeb Frei Bernardino – meta (5.0) Ideb (6.8)
Emeb Hermínio Pinheiro Júnior  - meta (5.5) Ideb (6.1)
Emeb Izabel Thiesen Roseto – meta (4.5) Ideb (5.3)
Emeb Izidoro Marin – meta (4.7) Ideb (5.1)
Emeb Jardelina Furtado Pereira – meta (4.8) Ideb (5.7)
Emeb Juscelino Kubistschek de Oliveira – meta (6.0) Ideb (6.8)
Emeb Ondina Neves Bleyer – meta (6.6) Ideb (7.0)
Emeb Professor Eduardo Pedro Amaral – meta (5.8) Ideb (6.1)
Emeb Professor Osni de Medeiros Régis – meta anos finais (5.1) Ideb (5.7)
Emeb São Vicente – meta (5.9) Ideb (6.7)
Emeb Santa Helena – meta anos iniciais (5.6) Ideb (6.7)
Emeb Suzana Albino França – meta (5.6) Ideb (6.0)
Emeb Professora Fausta Rath – meta (6.0) Ideb (5.9)
Emeb Professor Trajano – Ideb (5.6) anos iniciais (não tinha meta)
Emeb Índios – Ideb (4.5) anos finais (não tinha meta)



Nenhum comentário