Dia de Campo destaca sistema de Plantio Direto para agricultores de Lages e região


Por se tratar de sistema complexo, é exigido que o agricultor tenha o conhecimento mais amplo e domínio de todas as fases, envolvendo manejo de mais de uma cultura e, muitas vezes, uma associação de agricultura e pecuária.

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Marcelo Pakinha / ASCOM PML

Um Dia de Campo com informações gerais e demonstração técnica do sistema Plantio Direto (na palha) foi realizado nesta quinta-feira (25 de outubro), na Fazenda São João, no distrito de Santa Terezinha do Salto Caveiras. Participaram produtores rurais de Lages e de outros municípios da Serra, bem como alunos da Escola Itinerante e técnicos agrícolas e agrônomos.

A promoção do evento foi da Epagri (escritório local), Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca e Cooperativa Agropecuária do Planalto Serrano, com apoio da União Rural de Lages e do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural, e o patrocínio de empresas locais e regionais.

À tarde, após almoço, os participantes, divididos em grupos, se dirigiram à lavoura para as demonstrações técnicas orientadas por agrônomos e técnicos especializados, dentre estes profissionais o PHD e Fitopatologia e professor do Centro Agroveterinário da Universidade do Estado de Santa Catarina, Ricardo Trezzi Casa.

Pela manhã, na sede da Fazenda São João, houve exibição de vídeos destacando técnicas do Plantio Direto e também a história do desenvolvimento agrícola da região do Salto, além de palestras e homenagens especiais ao produtor rural e Secretário Municipal da Agricultura e Pesca, Osvaldo Uncini, e ao extencionista rural da Epagri, Hamilton Webber Xavier (Chicão).

Prestigiaram o evento o prefeito Antonio Ceron; vice-prefeito Juliano Polese; gerente regional da Epagri, Omar Nivaldi; presidente do Sindicato Rural de Lages, Márcio Pamplona; presidente da Cooperplan, Arnaldo Moraes; extencionista da Epagri, Pedro Donizete; vereadores Jean Pierre e Gerson Omar dos Santos.

Osvaldo Uncini, um dos palestrantes, e o maior produtor de grãos de Lages, falou sobre o início de seu trabalho, no campo, e a evolução da atividade agropecuária na região desde o início da década de 1960. “Iniciei com um lavoura de 15 hectares de trigo, fazendo a colheita à mão. Agropecuaristas do Salto, naquela época, me diziam que eu iria passar fome plantando no campo, área considerada, na época, apropriada apenas para a criação de gado. Mas eu tinha a certeza de que trabalhando com dedicação e fé tudo iria dar certo”, lembrou.

Uncini deixou a seguinte mensagem, dirigida em especial aos jovens alunos da Escola Itinerante de Lages: “Para vencer na vida é só ter vontade de trabalhar e não desistir. Ter fé, acreditar que vai ser um vencedor”, disse.

Plantio Direto

Técnica agrícola conservacionista do solo, introduzida no Brasil na década de 1970, e difundida a partir dos anos 1990, o Plantio Direto está hoje adaptado para as diferentes regiões do território brasileiro.
Requer muitos cuidados e tempo na sua implantação, porém uma vez estabelecido, traz benefícios ao solo, à produtividade (rendimento da produção), e para a competitividade dos sistemas agropecuários. Ou seja, promove o desenvolvimento, aumentando a renda do produtor rural, e criando novas oportunidades de evolução do agronegócio.

Devido a drástica redução da erosão do solo, reduz o potencial de contaminação do meio ambiente e oferece ao agricultor maior garantia de renda, pois a estabilidade da produção é ampliada em comparação aos métodos tradicionais de manejo do solo.

Fundamentos Técnicos

Trata-se de técnica de cultivo conservacionista em que o plantio é feito sem a aração e gradagem da terra. Isto é substituído pelo plantio de gramíneas, leguminosas, e pelo posterior resíduo dessas plantações (palha). Essa cobertura tem o objetivo de proteger o solo do impacto direto das gotas de chuva (do escorrimento superficial), das erosões hídrica e eólica.

O Plantio Direto pode ser considerado como modalidade do cultivo mínimo, pois o preparo do solo limita-se ao sulco de semeadura, à adubação e, eventualmente, à aplicação de herbicida em uma única operação.

Este sistema de plantio tem os seguintes fundamentos; elimina ou reduz operações de preparo do solo; formação e manutenção da cobertura morta; efeito de restos culturais no escorrimento superficial das águas das chuvas, infiltrações e perdas de solo; rotação de culturas; uso de semeadoras específicas.

Qualificação do Agricultor

Por se tratar de sistema complexo, é exigido que o agricultor tenha o conhecimento mais amplo e domínio de todas as fases, envolvendo manejo de mais de uma cultura e, muitas vezes, uma associação de agricultura e pecuária. O sistema exige ainda acompanhamento mais rígido da dinâmica de pragas, doenças e plantas daninhas, do manejo de fertilizantes e das modificações causadas ao ambiente, à medida que o sistema vai sendo implantado.



Nenhum comentário