Encontros visam promover sensibilização para o enfrentamento da violência


Por meio da Comissão de Monitoramento do Protocolo de Atenção às Vítimas de Violência de Lages, estão ocorrendo nos oitos Cras’s do município capacitações sobre o Fluxo de Atenção às Vítimas da Violência para os profissionais da rede de atendimento.

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Daniel Costa / ASCOM PML

Durante o mês de agosto, toda sexta-feira, das 13h às 17h, os Centros de Referência de Assistência Social (Cras’s) dos bairros Popular, Centenário, Penha e Tributo mobilizaram os profissionais da rede de atendimento dos respectivos territórios de abrangência para promover uma capacitação sobre o Fluxo de Atenção às Vítimas de Violência. 

Em setembro, na última sexta-feira (14), aconteceu no Cras do bairro Promorar, no Lar dos Idosos Saseadla. Ainda estão previstas outras duas para este mês: dia 21 no Cras VII, bairro Conta dinheiro, das 13h às 17h, e dia 28 no Cras VIII, bairro São Pedro/Gralha Azul, também das 13 às 17h. 

Segundo Bruna Correa Vaz, coordenadora da Comissão de Monitoramento do Protocolo de Atenção às Vítimas de Violência de Lages (Compav), o objetivo é fortalecer as políticas públicas de enfrentamento às violências por meio da sensibilização, além de buscar favorecer um trabalho efetivo, colaborativo e interativo entre as equipes dos diversos setores que compõem a Rede de atendimento através do Fluxo de Atenção às Vítimas de Violência pactuadas em Lages. “A elaboração do Fluxo de Atenção às Vítimas de Violência surgiu a partir da identificação de algumas dificuldades encontradas pelos profissionais da rede durante o processo de atendimento às vítimas. Essas capacitações servem para que os representantes de cada instituição possam conhecer os demais integrantes da rede, o método utilizado e também para esclarecimentos de dúvidas. Estamos realizando nos Cras’s pelo fato de possuírem cobertura total de todos os bairros de Lages e pela proximidade das incidências” esclareceu Bruna.

O Protocolo de Atenção às Vítimas de Violência de Lages

Criado no ano de 2001 e possui a finalidade de estabelecer diretrizes e ações de enfrentamento às violências contra crianças, adolescentes, mulheres e homens, assim como, a assistência e a garantia de direitos às pessoas em situação de violências, conforme normas e instrumentos internacionais de direitos humanos e legislação nacional. A partir de 2017 a Compav realizou um processo de estudo e análise por meio de informações em relação à assistência realizada às pessoas que se encontram em situação de violências, objetivando a revisão do Fluxo, com vistas à prevenção das violências e estímulo à cultura de paz, pactuada em 14 de maio deste ano, no Orion Parque, a assinatura do Termo de Compromisso com a Rede de Atendimento e disponibilizadas capacitações acerca do Fluxo de Atenção às Pessoas Vítimas de Violência de Lages.

A Comissão de Monitoramento do Protocolo de Atenção às Vítimas de Violência de Lages

Instituído em 25 de abril de 2013, a qual é composta por representantes das Secretarias Municipais da Saúde, Assistência Social e Habitação, Política para a Mulher e Assuntos Comunitários; Hospital Nossa Senhora dos Prazeres; Hospital Infantil Seara do Bem; Hospital e Maternidade Tereza Ramos; e Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente e Idoso. A comissão tem por objetivo a articulação da rede de serviços, a sistematização e monitoramento dos processos de trabalho, a conscientização das equipes multiprofissionais para que viabilizem o cuidado humanizado e a mobilização de toda a comunidade em relação às prevenções das violências. O contato pode ser feito através do endereço de e-mail: protocololages@gmail.com.

A Rede de atendimento

A rede de atendimento é composta pela Educação Municipal e Estadual, Saúde (Unidades Básicas de Saúde, Pronto Atendimento, Hospitais, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar de Lages e Núcleo de Apoio à Saúde da Família), Assistência Social (Cras’s, Centros de Referência Especializado de Assistência Social e O Serviço de Acolhimento Institucional), Segurança Pública ( Polícia Militar, Polícia Civil, Rede Catarina, Rede Escolar, Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso, instituto Geral de Perícias), Secretaria de Política Para a Mulher e Assuntos Comunitários e Conselho Tutelar. 



Nenhum comentário