Declarações de respeito à nação e exercício da cidadania pintam desfile na rua São Joaquim de verde e amarelo


Em 7 de outubro deste ano, 143 milhões de cidadãos devem ir às urnas para definir o rumo do país para os quatro anos seguintes, no mínimo, e desfiles cívicos são a chance de pedir por um Brasil ainda melhor, com ênfase nas condições política, econômica, de saúde, educacional e social.

Por ASCOM PML,
Lages/SC

📷 Celio William / Lages Diário

Uma explosão de manifestações de liberdade de expressão tomou conta das redes sociais na Internet. Em época de eleições, os conceitos e ideologias por um Brasil com melhores decisões nos mais distintos ramos são ingredientes dos desfiles cívicos país afora. Faixas, cartazes e adereços refletem os anseios da infância e da juventude: um país mais bem organizado e um planeta mais saudável. Em Lages, no Desfile Cívico da tarde desta terça-feira (4 de setembro), os pontos de vista passaram pela rua São Joaquim, tradicional trajeto da marcha de estudantes de escolas municipais e estaduais, privilegiando as instituições localizadas nas regiões Sul e Oeste de cidade. Foram nove escolas e a Mega Banda. As nove escolas são as seguintes: Escola de Educação Básica (E.E.B.) Lúcia Fernandes Lopes, Escola Municipal de Educação Básica (Emeb) Izidoro Marin, E.E.B. Visconde de Cairú, E.E.B. Hermínio Pinheiro Júnior, E.E.B. Professora Ilza Amaral de Oliveira, E.E.B. Professor Flordoardo Cabral, E.E.B. Egídio Baraúna, Emeb Santa Helena e E.E.B. Cora Batalha da Silveira.

Às escolas listadas para desfilarem no sábado (1º), mas com cancelamento por conta do mau tempo, foi aberta a possibilidade de apresentação na rua São Joaquim ou na avenida Duque de Caxias, na próxima sexta, dia 7, feriado, a partir das 9h, no Desfile Oficial. Aproximadamente 900 estudantes corresponderam às expectativas e marcaram presença no Desfile Cívico da rua São Joaquim. A empresa Binotto é parceira cedendo uma carreta, estrutura onde foi montado o palanque oficial de autoridades, sendo que a decoração começou uma semana antes do evento em si. Com esta iniciativa, os custos da prefeitura diminuem consideravelmente. Agentes da Diretoria de Trânsito (Diretran) e Polícia Militar (PM) atuaram durante a solenidade.

Entre as autoridades estavam o prefeito Antonio Ceron; o vice Juliano; a gerente Regional de Educação (Gered), Maria de Fátima Ogliari, e a secretária da Educação, Ivana Michaltchuk, entre demais secretários e executivos municipais e comandos militares. “O tempo ficou bonito e as crianças nos deram o prazer de vivenciar sua alegria de estar em um evento que prova a esperança de dias melhores a todos nós. Estamos orgulhosos de como as escolas se organizaram e dos alunos, que brilhantemente cumpriram seu papel com cidadania e de amor ao Brasil e, de certa forma, também de afeto a Lages, a cidade onde vivem e estudam”, avalia Ceron.

Ivana celebra a trégua das chuvas que caíam em Lages ininterruptamente desde sexta-feira passada, fortalecendo a presença das pessoas. “Nossa missão já começou hoje (terça) pela manhã, com acendimento do Fogo Simbólico no Calçadão da Praça João Costa e hasteamento das bandeiras. É um compromisso firmado com carinho e comprometimento. A Comissão dos Desfiles preparou as cerimônias e de antemão convidamos a toda a comunidade para prestigiar o 7 de Setembro, lembrando que a adesão do público na São Joaquim recebe a nossa gratidão”, salienta a secretária da Educação.

Na abertura das homenagens foram executados o hino nacional brasileiro e na sequência o de Lages. Estudantes do pré-escolar, dos nove anos do ensino fundamental e adolescentes dos três anos do ensino médio, aproveitaram a reunião de pessoas e comungaram de momentos registrados nas fotografias dos aparelhos de celular. Os aplausos eram constantes a cada fechamento de apresentação.

Organizado pela Secretaria Municipal da Educação, o Desfile trouxe a tônica dos programas e projetos interdisciplinares desenvolvidos nas escolas em turno e no contraturno, bem como serviços, suas bandas e fanfarras sincronizadas, movimentando-se em pelotões compassados. Um arranjo diferenciado prendeu a atenção, como nas canções “Era um Garoto que como Eu Amava os Beatles e os Rolling Stones” e “I Feel Good”. Às margens da São Joaquim, o público, formado por corpo docente e discente, familiares e amigos dos alunos, acompanhava, de olhos atentos e eufóricos, a cada desempenho e coreografia, fazendo jus às horas de ensaio sem desfoque.

E é claro, os pequeninos são os que mais conquistam o coração da plateia, por suas fantasias, marcha delicada e desenvoltura na evolução do Desfile. As maquiadas e enfeitadas bailarinas deram um show de concentração e não deixaram por menos, arrancando palmas e gritos de quem as via. No colorido das fileiras dos personagens clássicos da literatura infantil, uma viagem no tempo pela releitura das historinhas, como Branca de Neve e os Sete Anões, Rapunzel, Chapeuzinho Vermelho e Lobo Mau, Homem de Lata, do Mágico de Oz, Sítio do Pica-Pau Amarelo e Peter Pan. A magia tomou conta do asfalto por onde todos os dias simplesmente passam carros. O Sol deu o ar da graça de forma tímida, mas predominou na maior parte do tempo do evento. Foi um bom dia para os vendedores de guloseimas - algodão doce, pipoca e churros.

Trabalho extenso e com densidade

As escolas expuseram, durante os minutos em que ocuparam a pista, um condensado do trabalho esmiuçado ao longo do ano em diferentes faixas etárias conforme o processo de aprendizagem. Dividiram com o público informações da assistência pedagógica, laboratório de informática, aulas de reforço, biblioteca escolar, e projetos complementares, a exemplo do Programa Mais Educação, Novo Mais Educação, Mais Alfabetização, Mais Saber, Ensino Médio Integral em Tempo Integral (Emiti), Educação Fiscal, Programa Lendo e Relendo, do Instituto José Paschoal Baggio (IJPB), aulas de capoeira, festivais de dança, escolinha esportiva, consciência ambiental, Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), noções de socialização participativa. Além disto, cultivo de horta, educação de trânsito, inclusão social e acessibilidade, educação para a sustentabilidade, reciclagem, respeito ao meio ambiente, incentivo à cultura tradicionalista gaúcha e projetos de conhecimento de culturas de outros países. Geralmente, fazem parte da equipe escolar direção/gestor, auxiliares de direção, técnico administrativo, orientadora pedagógica, professores, serventes, cozinheiras e guardas vigilantes.

Uma banda inspiradora

A Mega Banda, composta por 500 instrumentistas, e que nesta terça levou à rua São Joaquim em torno de 100, foi criada em 2008 pelo professor Douglas Antonio da Silva e executada por maestros e regentes da rede pública municipal de ensino, com a proposta da socialização e do compartilhamento do conhecimento entre músicos e musicistas das escolas participantes. Em 2013, a Mega Banda retomou suas atividades para os espetáculos do Natal Felicidade, aos quais foram incluídas escolas da rede pública estadual. Em 2017, já com o auxílio e apoio da Associação Serrana de Bandas e Fanfarras (Asbafan), e prefeitura do município de Lages e de outras da região, o projeto foi ampliado para Painel, Ponte Alta, Bom Retiro, Bocaina do Sul como parceiros, sob os olhares de instituições relevantes no segmento de bandas e fanfarras, alcançando, desta forma, méritos de entidade em grande escala de desenvolvimento.

Com este destaque, a Mega Banda, Asbafan e prefeitura de Lages, receberam o convite para sediar, agora em 2018, o XI Concurso de Bandas e Fanfarras Sul-Brasileiro (Confabansul), que ocorrerá nos dias 15 e 16 de setembro, das 8h às 19h, no Ginásio de Esportes Jones Minosso. “Este projeto é o maior do ramo do país na atualidade. Nossa missão é levar aos nossos jovens a oportunidade de mostrar seu talento, assim tornando-se cidadãos de bem e de responsabilidade”, comemora o professor Douglas.

A Família Valente

A família da jovem Fabiana Valente, 24 anos, estava em peso no Desfile. O céu nublado do tempo instável do início da tarde não colocou ninguém para correr. Bem ao lado do palanque de autoridades, ela, sua mãe, irmã, cunhado e dois sobrinhos, ou seja, seis pessoas da mesma família, saíram do bairro Bela Vista, onde moram, para ver a aluna da Escola Flordoardo, Fabíola Valente, outra sobrinha, de 14 anos, do 8º ano do fundamental, desfilando como baliza junto das colegas. “Eu também fui baliza quando eu estava na escola e tocava prato na banda. Eu estudava no Aristiliano. Dá saudade. A minha sobrinha gosta do que faz. Outra coisa que acho legal é o Desfile com os trabalhos mostrados aqui na rua. É tanto trabalho que eles fazem e conseguem destacar tudo em pouco tempo na nossa frente. Na ótica da cidadania, os cartazes traduzem o que todo a população quer, mais paz, bondade, segurança, amor, progresso, equilíbrio econômico, e assim os candidatos podem ser tocados e lembrar-se dos pedidos do povo, do que é essencial para um futuro de prosperidade”, analisa Fabiana.  

Programe-se para o dia 7

No dia 7 serão 24 escolas e entidades no Desfile Oficial na Duque, às 9h, movimentando mais de duas mil pessoas dentro das linhas de passagem, como grupos de escoteiros Heliodoro Muniz e de Lages, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), dos Deficientes Visuais do Planalto Serrano (Adevips), de Pais e Amigos dos Surdos (Apas) e a Serrana dos Deficientes Físicos (Asdf), corporações militares (Polícia Civil e Militar, Bombeiros e 1º Batalhão Ferroviário - BFv), entre outras instituições.

Todos os dias, até sexta, 7 de setembro, acontece às 9h o hasteamento das bandeiras do Brasil, Santa Catarina e Lages, e às 17h ocorre o arriamento, no Calçadão da Praça João Costa, onde há a guarda do Fogo Simbólico. Também na sexta, no final da tarde (17h), há a extinção do Fogo. Paradas civis e militares ocorrem em todo o país na Semana da Pátria, em uma festa comemorativa à liberdade. A autonomia e a independência política do Brasil foram conquistadas em 7 de setembro de 1822, data em que o Brasil afastou de vez o risco de voltar a ser colônia de Portugal. Este ano chega-se aos 196 anos da Independência.

📷 Celio William / Lages Diário




Nenhum comentário