Grand Prix de Inovação do IEL encoraja jovens a solucionar problemas do cotidiano


O evento foi realizado na última sexta-feira, 17, no auditório do Serviço Nacional da Indústria (Senai).

em Lages/SC

📷 Catarinas Comunicação / Divulgação

Para celebrar o Dia do Estagiário, comemorado no dia 18 de agosto, o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) na Serra Catarinense convidou estagiários de empresas de diversos segmentos da região para participar do Grand Prix de Inovação. O evento foi realizado na sexta-feira (17), no auditório do Serviço Nacional da Indústria (Senai).

Durante a capacitação, 31 estagiários da indústria, serviços e entidades de classe participaram de um treinamento no qual tiveram contato com ferramentas de gerenciamento de projetos para buscar a resolubilidade de problemas. O canvas, uma modelagem de negociação, e o elevator pitch foram métodos utilizados para defender o projeto para investidores.

Depois de levantar a problemática e discutir as possíveis soluções, os participantes tiveram dois minutos para apresentar a sua proposta para o comitê do IEL. Exatamente o tempo que se leva para ir do primeiro ao décimo andar em um elevador. “Para comemorar o Dia do Estagiário de forma diferente, os convidamos para o desafio de apresentar, em pouco tempo, soluções para algum problema enfrentado por eles”, explica a responsável regional IEL/SC,  Serra e Alto Vale, Gislaine Gonçalves.

E deu certo. Os participantes foram divididos em grupos com cinco integrantes. Juntos, eles levantaram questões vividas no cotidiano, discutiram e, por fim, apontaram uma solução. A acadêmica do 2º ano de jornalismo, Thais Maira Alves, de 24 anos, é estagiária em uma entidade de classe que defende os interesses dos empresários do comércio.

Em seu grupo os participantes eram de áreas diferentes, porém, se depararam com o mesmo problema, a não otimização dos recursos humanos, ou seja, a força de trabalho não consegue atender a demanda de serviço existente. Como solução, eles apontaram a criação de uma plataforma de autoatendimento.

Chegaram à conclusão de que antes de acionar a mão de obra de um funcionário, muitas demandas podem ser atendidas por um sistema inteligente e intuitivo de autoatendimento. “Desta forma, o técnico de uma empresa de tecnologia, por exemplo, teria mais tempo para atender chamados que dependem de um conhecimento mais especializado”.

Prêmio para as melhores soluções

Para incentivar e aguçar a troca de conhecimento na busca de projetos viáveis, as três melhores soluções recebiam como premiação um troféu. O grupo vencedor apresentou a solução para o descarte correto do vidro, material 100% reciclável.  Eles levantaram problemáticas como o desperdício e o descarte incorreto do vidro, questões ambientais e de segurança ao manusear o material levando em consideração que o vidro demora um milhão de anos para se decompor.

A alternativa encontrada por eles foi investir na fabricação de bolinhas de gude, artesanato, lustres, copos e garrafas. Todos os objetos a partir do vidro reciclado. "Os recursos obtidos com a venda desse material seriam reinvestidos na melhoria da empresa e na qualidade de vida dos funcionários", frisa Matheus Miranda, um dos integrantes do grupo.

O vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) na Serra Catarinense, Israel Marcon, destaca que o foco do encontro esteve voltado para a inovação. “Espero que esses jovens continuem buscando a profissionalização e o conhecimento, porque no futuro eles estarão no comando das nossas indústrias”.

Nenhum comentário