Empreendedores asseguram a expansão de seus negócios com terrenos doados pelo Município


Mais de 3.400 metros quadrados direcionados a empresas que se comprometem a começar as obras assim que se superem as etapas burocráticas iniciais

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Greik Pacheco / ASCOM PML

Um mecanismo público que preza por seus compromissos regimentados por lei ultrapassa o limite dos serviços rotineiros, fomenta atitudes de desenvolvimento econômico e social, tomadas por cidadãos comuns, porém, arrojados e visionários. Das maneiras de impulsionar a economia e elevar os índices de postos de trabalho elencadas, há de destacar a destinação de áreas territoriais para tornar real o planejamento de uma empresa de expandir sua capacidade produtiva, as vagas de emprego e sua rentabilidade, e, consequentemente, o retorno de impostos restituídos em benfeitorias à coletividade. Em Lages, duas empresas foram contempladas com a doação de terrenos pelo Município em solenidade oficial de assinatura e entrega dos decretos de regulamentação dos incentivos fiscais na tarde desta terça-feira (14 de agosto) no gabinete do prefeito Antonio Ceron.

Às empresas Aldin do Brasil Aditivos Ltda. - ME e Calhas Broering foram concedidas uma área com 1.744,93 metros quadrados para cada uma, localizadas na Área Industrial São Paulo. A Aldin (decreto nº: 17.251) ficará com o Lote 2A da Quadra C, e a Broering (decreto nº: 17.250) com o Lote 2C da mesma quadra. Calcula-se que ambas as empresas irão economizar valor entre R$ 280 mil e R$ 300 mil, se fossem estabelecidos quatro lotes de média de valor unitário a R$ 80 mil. Os dois terrenos são provenientes de reversão feita pelo Município, já que as empresas contempladas anteriormente não cumpriram com as exigências de finalidade especificadas em lei.

Na escritura e no registro público deverá constar a informação de que o imóvel reverterá ao patrimônio público municipal caso venha perder sua finalidade principal. Todos os benefícios às empresas estão previstos na Lei número 3.626, de 11 de dezembro de 2009. “O Município está destravando uma tranca que existia. É preciso ouvir os anseios das empresas de fora e também das de Lages. Um de nossos compromissos é de sempre vislumbrar potencialidades que reflitam em progresso, contratação de mão de obra e arrecadação para fins de serviços públicos. Desejamos sucesso às empresas nesta evolução”, pontua o prefeito.  

O secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Mario Hoeller de Souza (Marião) acompanhou a entrega dos documentos, pasta municipal à qual os protocolos de solicitação de terrenos estão vinculados, com criteriosa análise de caso, levando em conta a viabilidade da proposta de ampliação industrial. “Serão no mínimo 18 novas famílias a serem acolhidas pelos dois empreendimentos com esta notícia positiva diante da empregabilidade de colaboradores, além do movimento econômico gerado ao Município com os tributos. Estamos tão ansiosos quanto as empresas. Para nós é uma comemoração”, celebra Marião.

A outras seis empresas serão doadas áreas, uma delas ainda com pendência de entrega de documentos, o que pode ocorrer a qualquer momento. Equipe da Secretaria do Desenvolvimento realiza os trâmites de forma adequada e respeitando-se os preceitos da legislação. A ideia é ampliar ainda este ano o contingente de terrenos a serem repassados. Ao todo, a Secretaria possui 35 pedidos de terrenos com viabilidade, depois de realizado rigoroso estudo do caso de reivindicação. O gerente de Desenvolvimento Econômico, Amauri Bacci, privilegiou o ato das assinaturas.
  
Os planos das beneficiadas

Calhas Broering

📷 Plínio Heitor Broering Júnior, da Calhas Broering.
(Foto: Greik Pacheco / ASCOM PML)
A empresa Calhas Broering possui uma sede própria no perímetro urbano, bairro Coral, com área em torno de 300 metros quadrados. Porém, ao longo dos 40 anos de existência da empresa, o espaço do entorno tornou-se predominantemente residencial, provocando efeitos na vizinhança. No novo endereço, a intenção é a construção de um barracão com o dobro do tamanho do atual. No quadro de funcionários, de nove profissionais, além dos dois sócios-proprietários: Plinio Heitor Broering e Plinio Heitor Broering Júnior (pai e filho respectivamente), se passará a 12 de arrancada, no mínimo.

O planejamento é de começar a obra o mais breve possível, levando em conta aspectos como questões burocráticas, análise de terreno e necessidade de terraplanagem. Portanto, dentro de seis meses as obras devem ser iniciadas, com conclusão até no máximo 1,5 ano, com o novo empreendimento pronto, instalado e em operação. A espera por um terreno transcorria há pelo menos seis anos, com cadastro na Secretaria do Desenvolvimento Econômico. “Nós somos favoráveis ao apoio a empresas que se instalam vindo de outras cidades e torcemos por todas, mas é gratificante saber que o Poder Público também pensa e age em prol de quem é daqui e em Lages empreende”, reconhece Plinio Júnior.

A Calhas Broering presta serviços a cerca de 60 clientes com suporte de especialização na construção civil e hoje em dia conta com quatro fortes marcas do ramo como parceiras. Está há 40 anos no mercado de Lages e região. Possui fabricação própria de seus produtos - calhas, rufos, curvas, dutos para exaustão (chaminés), exaustores eólicos, terminais-canhão para chaminés, coifas industriais e comerciais e peças especiais de funilaria industrial, em chapas galvanizadas, pré-pintadas de alumínio e de aço inoxidável, com montagem e instalação residencial, comercial e industrial, além de orçamentos, venda dos produtos e suporte técnico, contando, ainda, com máquinas e equipamentos modernos, frota própria e mão de obra capacitada. Desenvolve, aliás, projetos de tubulação e com soluções para o meio ambiente.

A Funilaria Broering, empresa familiar, foi fundada em 1968 por Pedro Paulo Broering. Em 2000, a empresa passou por uma reestruturação e passou a ser denominada Calhas Broering, liderada pelo então proprietário Plinio Heitor Broering. Atualmente, está situada à rua Fausta Rath, 117, Coral.

Aldin do Brasil

📷 Túlio Josué de Lima, da Aldin do Brasil. (Foto:
Greik Pacheco / ASCOM PML)
Empresa lageana fundada em 2009 na Incubadora MidiLages, a Aldin do Brasil tem sede de estoque em Lages e sua produção está terceirizada em outras cidades, como Curitiba, São Paulo e algumas do Oeste de Santa Catarina. A Aldin consiste em uma indústria com atuação no segmento de produtos químicos para papel e celulose (principalmente papel reciclado). Atende clientes nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, com perspectivas de exportação para países do Mercosul. O proprietário e diretor da empresa é o administrador Túlio Josué de Lima, que tem como sócia Juliana Paes de Lima.

Atualmente a Aldin tem sede própria na rua Dom Pedro I, 544, bairro Conta Dinheiro, com 150 metros quadrados. O novo barracão será erguido com aproximadamente 600 metros quadrados, com geração de mais de 15 postos de trabalho, além dos empregos indiretos. Hoje são cinco colaboradores em Lages.

As obras devem iniciar imediatamente após as liberações e emissão das licenças ambientais, e devem estar concluídas no prazo máximo de oito meses. A Aldin aguardava por uma área há mais de cinco anos. “Estas áreas estão sendo entregues para empresas que são de Lages, que precisam de espaço e querem fazer seus prédios com competência de administração nos negócios. Desenvolvimento é assunto sério e é desta forma que conduzimos nossas decisões”, reitera Túlio. 

Toda a produção industrial será transferida para o novo espaço em Lages, a ser edificado no terreno doado pelo Município, pois hoje, devido à infraestrutura, está totalmente concentrada fora. A doação da área terá como impacto a melhoria do controle e gestão, além da ampliação da linha de produtos da empresa. Os valores a serem investidos nas novas estruturas físicas foram preservados pelas duas empresas beneficiadas com as doações.