Ao explorar funcionamento de prefeitura, estudantes chegam mais perto da visão macro da realidade local e nacional


Visita foi ensejada por projeto de pesquisa-ação da pós-graduação em Desenvolvimento Regional, da Uniplac, intitulado “O Estudo da Ética e da Cidadania no Combate à Corrupção”, da professora Renata Schimila.

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Greik Pacheco / ASCOM PML

O Brasil está vivenciando momentos turbulentos e decisivos nos âmbitos da economia, empregabilidade e política, em que situações diversificadas estão sendo passadas a limpo, escrevendo-se novas páginas na história do país na demarcação do futuro da nação. E para assimilar o quadro mais próximo ao seu contexto de vida, 22 alunos com idade entre 13 e 16 anos, do 8º ano do ensino fundamental da Escola de Educação Básica (E.E.B.) Vidal Ramos, conferiram, na manhã desta quarta-feira (22 de agosto), informações junto ao principal responsável pelo comando da estrutura gigantesca da prefeitura de Lages, o instrumento de serviços públicos mais visado e cobrado pela população. Justamente por ser a mola propulsora da qualidade na prestação de ponta à ponta: a saúde à educação, da infraestrutura à defesa do consumidor, da limpeza de ruas ao paisagismo, da água à habitação, do trânsito à cultura, da fiscalização à arrecadação de receitas.

São 74 bairros e loteamentos (800 quilômetros) e em torno de 30 localidades rurais com mais de 1.500 quilômetros em Lages. Na prefeitura, quase cinco mil funcionários para dar conta à altura. Inúmeras engrenagens são elencadas para cuidar da cidade, são dez secretarias e mais cinco coordenadorias e fundações, e o Procon. Na Educação são 130 unidades (Ceims, Emebs e Itinerante) com 16 mil alunos. Na Saúde, 27 Unidades Básicas (UBSs), fora centenas de veículos e maquinários de manutenção e obras novas.

O prefeito Antonio Ceron recebeu os adolescentes que saíram dos bancos da escola para mergulhar no conhecimento de algo que está diretamente ligado ao seu dia a dia, mas até então estava distante. Fez uma breve explanação sobre a instrumentalização da prefeitura e respondeu perguntas das professoras e dos alunos. Ceron explicou as deficiências financeiras, compatíveis ao cenário do restante do país, em que a crise freou o consumo, respingando seriamente na produção da indústria, no comércio e prestação de serviços, e provocou a queda brusca na entrada de tributos aos cofres públicos.

Orçamento apertado

Em Lages, o orçamento é de cerca de R$ 40 milhões mensais para serem aplicados em saúde, educação, conservação de ruas, avenidas e estradas rurais, limpeza, entre demais necessidades básicas. “É uma verdadeira máquina para atender à população, como ocorre com os gestores nos 5.570 municípios dos 27 Estados. Quando eu cheguei à prefeitura percebi que há divergências entre o que se imagina fazer e o que se tem para investir. São R$ 550 milhões ao ano, mas as demandas crescentes. E se a economia não vai bem, atrapalha todo mundo, desde dentro de casa, quando alguém perde o emprego na família e as despesas são ajustadas, a começar com cortes pelo supérfluo, e a dignidade seja preservada. Nos últimos seis meses há um esperneio geral”, justifica Ceron. A greve dos caminhoneiros, entre final de maio e início de junho deste ano, impactou em R$ 2 milhões ao mês na queda da arrecadação em Lages.

O prefeito exemplificou o impasse de Lages possuir dois terços dos bairros sem nenhum tipo de pavimentação nas vias, e recorda que suas prioridades são as crianças, mulheres e idosos. Ressaltou a relevância do ineditismo na criação da Secretaria de Política para a Mulher, Programa Lages Melhor (aulas de arte e cultura nos bairros), respeito ao trabalho do Observatório Social, Centro Administrativo municipal, obras da UPA e do Mercado Público, abertura das propostas da revitalização do Centro em 10 de setembro. Os recursos são direcionados de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), sendo que a Educação deve ser alvo de investimentos no limite mínimo de 25% e está em primeiro lugar no contingente de servidores (dois mil) devido a sua complexidade, seguida pela Saúde (15%), que inclusive é polo de atendimento para a região serrana, seguida pela Assistência Social e Habitação no número de colaboradores.

Outras premissas lembradas pelo chefe do Poder Executivo são a apreciação, votação e aprovação das ações por parte da Câmara de Vereadores, de acordo com o colegiado de 16 legisladores. “Na iniciativa privada somente não se faz o que a lei proíbe, e na pública só se faz o que a lei permite. Todas as decisões são embasadas nas disposições legais.” Os canais de comunicação com a prefeitura são a Ouvidoria (0800 645 2999, 3221-1261, e-mail ouvidoria@lages.sc.gov.br ou pelo link da Ouvidoria no site www.lages.sc.gov.br) e Facebook - @prefeituradelages.

Os efeitos magníficos da educação

Ceron recordou um pouco sua história para mostrar aos adolescentes os obstáculos enfrentados para se chegar longe. A educação foi sua sustentação. “Sou do interior de Tangará e filho de colonos. Andava seis quilômetros a pé e descalço para chegar à escola. No lanche, batata doce e pão com ‘chimia’. Eram tempos difíceis. Fiz contabilidade. Fui para a vida pública. Hoje estou aqui e quero dizer que é pela educação que vocês serão pessoas de bem e terão seus sonhos realizados. Persistam e sejam prósperos.” Nos desejos dos estudantes, a vontade de ser policial, médico, advogado, jogador de futebol, lutador de jiu-jitsu, engenheiro civil, psicólogo.

O poder de uma eleição

No próximo dia 7 de outubro, 147 milhões de cidadãos, a partir dos 16 anos, devem exercer seu direito ao voto e escolher presidente, governadores, senadores e deputados federais e estaduais. E numa turma inteira de adolescentes o que não falta é curiosidade, expectativa e ansiedade de um dia poder seguir até a urna e registrar sua vontade, contribuindo com o processo democrático e o destino do seu país. Ceron reiterou que na gestão pública existe a missão de “matar um leão por dia” e o regime do voto deve refletir a escolha da maioria, com prévia análise dos planos de governo. “Vocês são gente nova com novas ideias. O futuro está nas mãos de vocês. Em casa, a lição de orientar os pais, filtrar o que é bom e ter muito cuidado com as redes sociais, uma ferramenta que deve ser usada para o bem.”

As operações da Polícia Federal (PF), sob a ótica da sociedade, de dois anos para cá, de acordo com análise do prefeito, despertou no Brasil um senso mais crítico por conta das investigações. “Acredito que mais do que as próprias prisões, a conscientização dos cidadãos para que cada um faça a sua parte, incluindo na questão da sonegação de impostos. A responsabilidade começa primeiro individualmente. Coletivamente é preciso saber que o dinheiro público é sagrado. O desvio de finalidade dos recursos é inadmissível. Cada centavo deve ser bem empregado”, alerta Ceron, reiterando que, “depurar o Brasil vai levar anos”.  

Uma das mais pró-ativas no encontro com o prefeito, Andressa Rosa, 16 anos, vai votar pela primeira vez em 2018. “Tenho expectativas, mas também certo receio em acertar nas escolhas. Eu tinha outra visão da figura do prefeito, achava que ele decidia e pronto, que as coisas eram mais fáceis, mas hoje vi que ele é subordinado às leis e tem uma equipe por trás para ajudá-lo.”

Os governantes de amanhã

A professora de Ciências, Renata Schimila, é idealizadora e coordenadora do projeto de pesquisa-ação da sua pós-graduação em Desenvolvimento Regional, da Uniplac, intitulado “O Estudo da Ética e da Cidadania no Combate à Corrupção”. A execução do projeto começou em fevereiro deste ano e abrange os 28 alunos da turma do 8º ano. A ideia é atender toda a escola, com 340 alunos, do 1º ao 9º ano.

As visitas foram feitas na Câmara de Vereadores, Observatório Social e Alesc. Depois da prefeitura, será agendada a ida dos alunos ao Fórum Nereu Ramos, fechando o ciclo nos três poderes. Além das abordagens in loco, foram desenvolvidos dois seminários e distribuídos encartes, uma produção governamental, sobre corrupção, impostos, ética e cidadania. O trabalho será selado com uma devolutiva através de documentário a ser postado nas redes sociais. A Escola Vidal Ramos possui 32 funcionários, sendo 26 professores, um estagiário e cinco profissionais do administrativo. Esta situada na rua Professor Teobaldo Delwing, 220, Centro.



Nenhum comentário