Ações para diminuir os impactos da paralisação dos caminhoneiros são criadas em SC por equipe integrada


A situação em todo o Estado está sendo controlada no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd).

Por SECOM/SC,
Florianópolis/SC

📷 Jaqueline Noceti / ASCOM PML

Minimizar os impactos da greve dos caminhoneiros e manter a ordem pública são as prioridades neste momento do comitê de crise do Governo do Estado, segundo o Secretário de Defesa Civil, Rodrigo Moratelli. "Nós estamos trabalhando de forma integrada, entre todas as secretarias, para diminuir os impactos, criar estratégias e manter os serviços básicos, garantindo o bem estar da população", explicou Moratelli em coletiva na manhã desta quinta-feira, 24, que também teve a presença do secretário da Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Júnior, e da Agricultura e da Pesca, Airton Spies.

A situação em todo o Estado está sendo controlada no Centro de Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres, o Cigerd, desde a última terça-feira buscando soluções para evitar danos à população e manter os serviços essenciais. Pela manhã, os três secretários atualizaram a situação no Estado e ações desenvolvidas para preservar a segurança e garantir o direito de ir e vir da população.

Medidas

A Secretaria de Segurança Pública está trabalhando com planejamento desenvolvido de acordo com as prioridades para agir de forma mais efetiva. A inteligência já está levantando as informações necessárias sobre as rodovias para garantir que elas não sejam totalmente bloqueadas. O secretário Alceu de Oliveira Júnior também deixou as aeronaves da Secretaria de Segurança Pública disponíveis caso exista a necessidade de busca de medicamentos e demais produtos de emergência.

Já na Agricultura os impactos são um pouco maiores por se tratar de produtos extremamente perecíveis e de bem estar animal. O secretário Airton Spiens afirma que já está em contato com a agroindústria, com o setor leiteiro e com as granjas para acompanhar e auxiliar no que for necessário. "Os impactos estão minimizados por conta de estratégias de colaboração entre as empresas e pelo esforço feito pelo Estado para que todos recebam a alimentação para os animais, evitando perdas e principalmente para que se mantenha a sanidade", disse.

Se ressalta a importância da colaboração de todos os cidadãos para que evitem situações críticas, além de ajudarem denunciando comportamentos abusivos relacionados a valores de produtos ligando para o 151 do Procon. 



Nenhum comentário