Zanin condena mandado de prisão antes dos recursos acabarem


O mandado de prisão contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi emitido nesta quinta-feira pelo juiz federal Sergio Moro.

Por MARCELO FANTI da VEJA.COM,
São Paulo/SP

📷 O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acompanhado do seu advogado Cristiano Zanin, deixa a sede do Instituto Lula, após prisão decretada pelo juiz Sérgio Moro – 05/04/2018. (Foto: Estadão Conteúdo)

advogado de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Cristiano Zanin Martins, divulgou uma nota condenando o mandado de prisão emitido pelo juiz federal Sergio Moro contra o ex-presidente nesta quinta-feira.

Segundo o advogado, a expedição do mandado de prisão contraria decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), porque os recursos a serem apresentados à Corte ainda não foram exauridos. “A defesa sequer foi intimada do acórdão que julgou os embargos de declaração em sessão de julgamento ocorrida no último dia 23/03”, diz o texto.

Zanin argumenta que “do acórdão ainda seria possível, em tese, a apresentação de novos embargos de declaração do TRF4”.

Minutos depois do ofício do TRF4 autorizando a prisão do petista, Moro expediu mandado de prisão. O prazo para o ex-presidente se apresentar na Polícia Federal de Curitiba vai até as 17h de sexta-feira.

Leia a nota na íntegra:

“A expedição de mandado de prisão nesta data contraria decisão proferida pelo próprio TRF4 no dia 24/01, que condicionou a providência – incompatível com a garantia da presunção da inocência – ao exaurimento dos recursos possíveis de serem apresentados para aquele Tribunal, o que ainda não ocorreu. A defesa sequer foi intimada do acórdão que julgou os embargos de declaração em sessão de julgamento ocorrida no último dia 23/03. Desse acórdão ainda seria possível, em tese, a apresentação de novos embargos de declaração para o TR4”.

CRISTIANO ZANIN MARTINS




Nenhum comentário