Carli marca no fim, Gatito volta a ser herói, e Botafogo é campeão sobre o Vasco


Zagueiro argentino garantiu a vitória por 1 a 0 aos 49 do segundo tempo. Nos pênaltis, goleiro paraguaio defende cobranças de Werley e Henrique para dar ao glorioso o 21º título do Campeonato Carioca.

Por GLOBOESPORTE.COM,
Rio de Janeiro/RJ

📷 André Durão / Globoesporte.com 

Há coisas que só acontecem com o Botafogo. E quem disse que o clichê só vale para momentos ruins? Com pênalti não marcado, sofrimento até o último minuto e dois heróis estrangeiros, o Glorioso despachou o Vasco neste domingo, no Maracanã, e se sagrou campeão carioca em grande estilo. Joel Carli, aos 49 minutos do segundo tempo, garantiu o 1 a 0 no tempo normal e levou a decisão para os pênaltis. Aí, um roteiro que o torcedor alvinegro já se acostumou se repetiu: Gatito Fernandéz garantiu o troféu ao defender as cobranças de Werley e Henrique.

O especialista

Mais do que o alívio pelo gol de Carli no minuto final do tempo normal, o torcedor do Botafogo foi para a decisão por pênaltis confiante. Com Gatito Fernandez, havia quase que uma certeza de ao menos uma defesa na série contra o Vasco. E assim foi! Herói na Libertadores de 2017, o goleiro paraguaio manteve a média e defendeu as cobranças de Werley e Henrique, garantindo o troféu. Agora, são impressionantes dez defesas em 19 pênaltis com a camisa alvinegra.

A primeira vez...

O título carioca foi ainda mais especial para Joel Carli. E não somente pelo gol decisivo marcado no lance final da partida. O troféu erguido no Maracanã foi o primeiro da carreira do zagueiro argentino de 31 anos. Antes de chegar ao Botafogo, ele tinha passado por Aldosivi, Deportivo Morón, Gimnasia La Plata e Quilmes, todos de seu país.

Custou caro

Com a vantagem do empate, o Vasco começou melhor a partida diante de um Botafogo ansioso, desperdiçou chance clara com Riascos, parecia ditar o ritmo, mas viu tudo mudar com a expulsão de Fabrício. Aos 36 do primeiro tempo, o lateral fez falta em Luiz Fernando e recebeu o vermelho direito, forçando sua equipe a praticamente só se defender nos 55 minutos seguintes. Zé Ricardo fechou o time, terminou o jogo com quatro zagueiros, mas foi castigado no minuto final.

Primeiro tempo

Intensidade, expulsão e casa cheia. Vasco e Botafogo não primaram pela técnica, mas não faltaram ingredientes para valorizar o clima de final no Maracanã. Os primeiros 45 minutos foram marcados por equipes que se mandaram para o ataque como podiam. Em desvantagem, o Glorioso tentava adiantar a marcação e pressionar, oferecendo espaços para um adversário que entrou em campo com quatro laterais de ofício, abrindo o campo para explorar a velocidade dos contragolpes. Com a obrigação de fazer um gol, o Botafogo se mostrou ansioso em alguns lances, enquanto o Vasco criava as melhores oportunidades.

Riascos desperdiçou chance clara após vacilo de Gatito em chute de fora da área de Pikachu. Bem postado, os vascaínos conseguiam ditar o ritmo do jogo. Até que o panorama mudou com a expulsão de Fabrício. O lateral recebeu o vermelho direto após falta em Luiz Fernando, que teve que sair da partida, aos 36. Foi quando o Glorioso passou a encontrar mais espaços, principalmente pelos lados, mas faltou criatividade.

Segundo tempo

Com um a mais, Alberto colocou o time no ataque: sacou Marcelo e apostou em Kieza. Na base do abafa, o Glorioso esboçou uma pressão, mas faltava criatividade. A solução foi apelar para o chuveirinho, mesmo diante de um adversário que terminou a partida com quatro zagueiros em campo. Quando os botafoguenses conseguiam finalizar, esbarravam em Martín Silva. O uruguaio interceptou cruzamentos e fez boas defesas em conclusões de Brenner e Kieza.

Em uma das bolas alçadas na área, polêmica: Galhardo puxou Carli pela camisa e o impediu de disputar a jogada. Muita reclamação dos alvinegros, mas nada marcado. Para Arnaldo Cézar Coelho, comentarista da TV Globo, pênalti claro. O Botafogo não desistia e seguia com bolas aéreas. E assim foi recompensado quando a torcida do Vasco já ameaçava gritos de campeão. Aos 49, após a expulsão de Valencia, bate-rebate na área culminou na finalização de Carli. Gol! E o título carioca foi para decisão por pênaltis.

Como fica?

O Botafogo volta a ser campeão carioca depois de cinco anos e agora acumula 21 títulos da competição. Com 34, o Flamengo é o maior vencedor, seguido por Fluminense (31) e Vasco (24).

Que venha o Brasileirão!

Campeão carioca, o Botafogo estreia no Campeonato Brasileiro na segunda-feira, dia 16, diante do Palmeiras, no Engenhão, às 20h (de Brasília) - antes, encara o Audax Italiano, quinta-feira, às 19h15, em Santiago, pela Copa Sul-Americana. Domingo, o Vasco recebe o Atlético-MG, às 16h, em São Januário.

Ficha técnica
Vasco 0 (3x4) 1 Botafogo
Pênaltis
Martín Silva
Gatito Fernández
Rafael Galhardo (Werley)
Marcinho
Paulão
Joel Carli
Erazo
Igor Rabello
Fabricio (expulso)
Moisés (Gilson)
Desábato
Matheus Fernandes
Evander (Andrés Rios)
Marcelo (Kieza)
Yago Pikachu
Renatinho
Wagner
Luiz Fernando (Rodrigo Pimpão)
Henrique
Leonardo Valencia (expulso)
Riascos (Ricardo)
Brenner
Técnico: Zé Ricardo
Técnico: Alberto Valentim




PREVISÃO DO TEMPO

CURTA O LD

SEGUIDORES

Postagens mais visitadas deste blog

Organizador do Bike Serra morre em acidente em Lages

Um morre e outro fica ferido em acidente entre carro e ônibus em Lages

Proprietário de padaria é morto após tentativa de assalto em Lages