Ônibus itinerante do Programa “Mulher, Viver sem violência” estará em Lages em março

Outra boa novidade é que agora Lages conta com a Rede Catarina de Proteção à Mulher, idealizada pela Polícia Militar.

Por ASCOM PML,
Lages/SC

📷 Toninho Vieira / ASCOM PML

O tema do direito à igualdade, tolerância e respeito aos diversificados gêneros nunca esteve tão evidenciado nas redes sociais, mídias oficiais de comunicação, escolas, rodas de conversa, e tem tomado parte gradualmente, conforme os costumes de cada família, dos seus momentos de discussão. Os direitos da mulher e a rede de proteção a sua integridade física e psicológica, juntamente aos seus anseios, por vezes lideram os debates. E a Serra receberá, entre os dias 19 e 29 de março, o mês da Mulher em decorrência ao seu Dia Internacional (8), dois ônibus itinerantes do Programa “Mulher, Viver sem Violência”, da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, veículos dotados de estrutura para corresponder, de forma discreta, às demandas de queixas de mulheres moradoras em áreas distantes do Centro e nas comunidades rurais do município. Normalmente são oferecidas informações sobre prevenção à violência, cuidados preventivos ao câncer de mama e do colo do útero, DSTs, INSS, Lei Maria da Penha, Disque 180, órgãos de apoio, assessoria jurídica e palestras. 

Os “ônibus lilás” são preparados para transitar em áreas rurais e estão equipados para prestar instruções sobre os direitos da mulher e violência doméstica, e para divulgar os serviços públicos existentes para proteção social. Possuem salas com divisórias para assegurar um atendimento privativo e humanizado. A atividade é organizada pela Coordenadoria Estadual da Mulher, em parceria com as Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) e prefeituras.

Os veículos percorrem diversas regiões de Santa Catarina e pela segunda vez na Serra (a primeira foi em 2016, em Índios e Santa Terezinha do Salto no que tange a Lages), deverão receber mulheres para atendimento de saúde, assistência social e psicologia. A prestação dos serviços e amparo estarão a cargo de servidores de secretarias municipais, como Política para a Mulher e Assuntos Comunitários, Saúde/Ceasm, Educação, Serviços Públicos e Meio Ambiente, Assistência Social e Agricultura e Pesca, além de parceiros voluntários, como Sesc, Finer, OAB Mulher, Clube de Soroptimistas, Mulheres HIV, CAV/Udesc, Apae, MP, Centro de Direitos Humanos e Cidadania Irmã Jandira Bettoni, Gecal/ITCP/Uniplac, CDHC, Adevips, Instituto Paternidade Responsável, Delegacia da Mulher, União das Associações de Moradores, Associação Bom Samaritano e Banco da Família.

Encontro de organização

Na tarde desta quinta-feira (8 de fevereiro), profissionais e apoiadores se reuniram na Secretaria de Política para a Mulher durante reunião do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM), com o objetivo de alinhavar a pauta e fazer definições, como os parceiros confirmados, responsabilidades e locais a serem atendidos pelos ônibus. “Sem dúvida alguma é um trabalho de suma importância, pois poderemos chegar às comunidades rurais e nos bairros mais afastados, e levar este atendimento que as mulheres tanto merecem. Serão orientadas sobre saúde e seus direitos. É quase um seminário ou algo neste sentido, com diversas opções e modelos de suporte, além do apoio para quem sofreu algum tipo de agressão verbal, física ou psicológica. Será uma forma de valorizar a população”, reitera a secretária de Política para a Mulher, Marli Nacif.

A secretária pontua que diante da cultura serrana ainda existe grande restrição ao trabalho da mulher, querendo limitá-la aos serviços domésticos, sem ampliação de sua expectativa de vida pessoal e profissional. “Todas têm sim poderes e ninguém aqui quer jogar a mulher contra o homem, mas sim que as mulheres saibam que todos são iguais e de mesma importância, com obrigações e direitos.”

No próximo dia 15, às 8h30min, haverá um encontro no Cavernão, auditório do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), do qual participará a coordenadora estadual da Mulher, da Secretaria de Estado, Aretuza Larroyd, quando os parceiros manifestarão os serviços a serem oportunizados e detalhes serão decididos.

A Campanha Permanente Unidades Móveis: Mulheres e Cidadania contempla um dos eixos do Programa “Mulher: Viver sem Violência”, para integrar e ampliar os serviços públicos voltados às mulheres em situação de violência, mediante a articulação dos atendimentos especializados no âmbito da saúde, justiça, segurança pública, da rede socioassistencial.

Programação:

19/03 - 8h30min: Solenidade de abertura dos trabalhos na sede da Secretaria de Política para a Mulher, com a presença do prefeito Antonio Ceron e demais autoridades
19/03 - A partir das 13h: Ônibus no bairro Vista Alegre (o outro ônibus estará na região da ADR de Brusque no período da ação)
28/03 - Manhã e tarde: Rancho de Tábuas, no salão da igreja
28/03 - Manhã e tarde: Potreiros, no salão da igreja
29/03 - Manhã e tarde: Salto Caveiras, na escola, e em outra comunidade ainda a ser definida
29/03 - 14h: Encerramento na Praça Joca Neves
Entre os dias 20 e 27/03 - Ônibus em Campo Belo do Sul, Capão Alto, Cerro Negro, São José do Cerrito, Ponte Alta, Otacílio Costa, Palmeira, Bocaina do Sul, Painel, Correia Pinto, Bom Retiro, Anita Garibaldi, Bom Jardim da Serra e São Joaquim

Secretaria inédita no Estado

Um grande desafio foi lançado em 2017, primeiro ano da atual administração municipal: criar e fazer dar certo uma secretaria pioneira em Santa Catarina, com total atenção à mulher em razão do registro de números preocupantes. A Casa de Apoio à Mulher Vítima de Violência abriga mulheres e filhos menores de 18 anos em situação de vulnerabilidade por ocorrência de violência.

Atualmente a Casa abriga uma mulher com três filhos. O número de permanentes é sazonal devido às situações de retorno ao lar, ou ida para a casa de familiares, ou retorno para a própria casa e novamente abrigo na Casa do Município, ou por aluguel social. A Secretaria mantém atualmente 78 atendimentos familiares domiciliares (mulheres que retornaram para uma nova tentativa ou estão na casa de parentes).

A equipe de assistente social e psicóloga prestam suporte também na sede da Secretaria, na avenida Presidente Vargas. Nos casos de pedido de afastamento é acionada a Promotoria, se for separação o caso é encaminhado ao Poder Judiciário. A Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso, Polícia Militar e Ministério Público (MP) formam a rede de parceria em atendimento. O contato da secretaria municipal é 3224-4779. Denúncias anônimas devem ser efetuadas pelo número 180, com funcionamento todos os dias da semana, 24 horas por dia, bem como pelo 98402-9413.

PREVISÃO DO TEMPO

CURTA O LD

SEGUIDORES

Postagens mais visitadas deste blog

Organizador do Bike Serra morre em acidente em Lages

Um morre e outro fica ferido em acidente entre carro e ônibus em Lages

Bombeiros auxiliam jovem que deu a luz em casa no bairro Guarujá