Candidatos excedentes do concurso dos Bombeiros de SC pedem abertura de nova turma de formação

Cerca de 350 candidatos solicitam abertura de uma nova turma, pois segundo eles, a corporação está com baixo efetivo e os 300 previstos no edital não conseguirão equalizar a defasagem desde 2013.

Por LD,
Lages/SC

📷 Felipe Rosa / Arquivo SECOM 

Um grupo de 350 candidatos excedentes do último concurso realizado para o Corpo de Bombeiros Militar do Estado, pedem o apoio das autoridades políticas e do Governo do Estado para que seja realizada a abertura de uma nova turma de formação de soldados, além das 300 previstas no edital do concurso realizado em 2017, devido ao baixo efetivo da Corporação que deve diminuir ainda mais esse ano com a previsão de mais aposentadorias. 


Segundo um dos integrantes da comissão dos excedentes, Luiz Henrique, o grupo conta com o apoio do comando geral do Corpo de Bombeiros e também da Associação dos Praças de Santa Catarina (Aprasc), e solicitam a abertura dessa nova turma o quanto antes, sob o risco de a corporação ter o atendimento comprometido, prejudicando principalmente à população, pois as 300 vagas previstas no edital do concurso não conseguirão equalizar a defasagem devido às aposentadorias na corporação, já que o último concurso realizado foi em 2013, e ainda existe um risco maior que é a de alguns quartéis acabarem fechando por falta de efetivo.

Um levantamento feito pelo grupo de excedentes através do Portal da Transparência apontou que em janeiro de 2017, o Corpo de Bombeiros de Santa Catarina contava com 2.504 efetivos sendo que em dezembro do mesmo ano esse número reduziu para 2.425, e a tendência é que mais 300 se aposentem nos próximos anos.

Ainda segundo Luis Henrique, o grupo já tem agendadas reuniões com prefeitos, deputados e senadores nesta semana para discutir sob o assunto e encontrar uma maneira de entrar em contato com o governador Raimundo Colombo ou até mesmo com o atual vice, Eduardo Pinho Moreira que deverá assumir o governo no próximo dia 16.

O LD entrou em contato com a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) e com a assessoria do gabinete do Governador Raimundo Colombo para um posicionamento, mas até o fechamento da matéria não havíamos obtido resposta, assim que o fizerem disponibilizaremos este espaço.

Nenhum comentário