Trotes fazem PRF, Bombeiros e Samu irem a “acidentes” que não existiram

Os trotes fizeram equipes de resgate se deslocarem de forma desnecessária para São José do Cerrito e Bocaina do Sul.

Por LD,
Lages/SC


Mais dois casos de trotes que acabam atrapalhando o bom atendimento de equipes de resgate e da polícia, e claro, deixando pessoas que realmente necessitam destes serviços desamparadas. Desta vez, o Corpo de Bombeiros, Samu e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) se deslocaram para duas ocorrências inexistentes, sendo uma em Bocaina do Sul e outra em São José do Cerrito, municípios distantes cerca de 40 quilômetros de Lages, na Serra Catarinense.


Na primeira suposta ocorrência, as equipes de resgate foram acionadas para atender a um suposto acidente de saída de pista na BR-282, às 15h58, em São José do Cerrito, onde haveriam duas vítimas estáveis. Chegando no local, porém nada foi encontrado.

Já na segunda ocorrência, doze minutos depois do primeiro, outra ocorrência tratando-se de um acidente, este mais grave, onde duas pessoas supostamente estariam presas às ferragens. Novamente, as viaturas se deslocaram e nada encontraram.

O trote é crime e a pena a quem comete tal infração é detenção de um a seis meses ou o pagamento de multa.