Skol lança campanhas contra o assédio e a homofobia no carnaval

Campanhas corrigem comentários quadrados com mensagens contra o preconceito na folia.

Por LD,
Lages/SC

📷 Campanha Skol que mostra a diferença entre xaveco e assédio no Carnaval. (Foto: Reprodução)

A Skol baseada em uma pesquisa recente realizada pela cerveja junto ao Ibope, está promovendo desde o fim do ano passado diversas campanhas para corrigir comentários preconceituosos dos mais diversos temas e transformando em mensagens contra o preconceito e que invés de afastar, une mais as pessoas.


Passada as festas de fim de ano, o início do ano trouxe duas campanhas baseadas em outro grande evento, principalmente no Brasil, o carnaval, e com dois temas que ficam muito em evidência no carnaval que é o assédio sexual e também a homofobia.

Na primeira campanha que já está sendo divulgada desde o início do ano na TV aberta, mostra a grande diferença entre o xaveco e o assédio. O nome do vídeo é sugestivo “Chegar pegando” mostra como uma abordagem pode ser mais redonda e respeitosa.

No vídeo, dois rapazes estão em um bloco e um diz ao outro que “no Carnaval tem que chegar pegando”. O comentário machista deixa claro que isso afasta as pessoas. O amigo então manda redondo e diz que o certo é “chegar pegando o telefone, intimidade, enfim, pegando autorização para pegar”.

Já na segunda campanha divulgada no último sábado (13), a temática é a homofobia no carnaval, e baseada na marchinha “Maria Sapatão”, um homem observa a festa e solta o comentário quadrado: “E aquela ali? De dia é Maria, de noite é João”. Logo sua amiga o interrompe e arredonda o papo: “Se é Maria, o problema é dela. Se é João, o problema é dele”.

📷 A segunda campanha de Carnaval é a do João e Maria contra a homofobia. (Foto: Reprodução)

Para a diretora de marketing da Skol, Maria Fernanda Albuquerque, o intuito da cerveja é convidar as pessoas a saírem do quadrado, quebrarem estereótipos e viverem experiências livres de preconceito e pré-julgamentos. “O carnaval é a época mais alegre do calendário brasileiro e a festa só é completa com respeito por todos e todas”, conclui Maria.

Na recente pesquisa Skol Diálogos, o machismo foi citado por 61% dos entrevistados como sendo o preconceito mais praticado pelo brasileiro, mesmo que sem ser notado. Outros campanhas da Skol já foram divulgadas contra preconceito contra homofobia e gordofobia, por exemplo.


Ambas as campanhas de carnaval são assinadas pela agência F/Nazca Saatchi.


PREVISÃO DO TEMPO

CURTA O LD

SEGUIDORES

Postagens mais visitadas deste blog

Organizador do Bike Serra morre em acidente em Lages

Um morre e outro fica ferido em acidente entre carro e ônibus em Lages

Colisão traseira faz carro capotar na avenida Dom Pedro II, em Lages; veja vídeo