Gleisi aposta no STF para evitar ‘violência’ contra Lula

Presidente Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), deu entrevista ao jornal Folha de S. Paulo e acredita que o STF irá reverter a decisão do TRF4 que condenou o ex-presidente à 12 anos e 1 mês de prisão.

Por GUILHERME VENAGLIA da VEJA.COM,
São Paulo/SP

📷 A senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidente nacional do PT. (Foto: PT / Divulgação)

A senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidente nacional do PT, verbalizou em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo a esperança de muitos petistas: que o Supremo Tribunal Federal(STF) evite a “violência” que seria uma prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), condenado a doze anos e um mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

“Não acredito que a corte suprema vai deixar acontecer uma barbaridade dessas. Seria uma violência não só contra o Lula, mas contra a democracia e o povo brasileiro, pela representatividade que ele tem no país”, disse a senadora. Gleisi também disse que o STF colocará “as coisas nos eixos”, ao criticar o TRF4 por supostamente ter condenado o ex-presidente “sem provas”.

A senadora afirmou que o PT vai inscrever Lula como candidato à Presidência da República e recorrerá à Justiça para mantê-lo na disputa. “A candidatura do Lula não se define no âmbito da Justiça criminal e sim da Justiça Eleitoral. E essa discussão se dará a partir de 15 de agosto. Até lá vamos trabalhar com o Lula pré-candidato”, completando que “já houve vários casos de candidatos com sentença que continuaram até o final, se elegeram e foram empossados”.

Gleisi ainda atribuiu a “vocês da mídia” as informações sobre possíveis nomes para assumir a candidatura petista se Lula tiver o registro barrado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Questionada sobre as opções ventiladas nos bastidores, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e o ex-governador da Bahia Jaques Wagner, a presidente do PT respondeu que “não existe nenhuma discussão sobre isso” na legenda.

‘Eles combinaram’

A senadora reiterou a acusação feita pelo ex-presidente Lula de que os três desembargadores da 8ª Turma Criminal do TRF4, João Pedro Gebran, Leandro Paulsen e Victor Laus, formaram uma espécie de “cartel” para sentenciá-lo. “Eles combinaram o voto, sim. E mais: combinaram por uma questão corporativa, de autodefesa, de não abrir nenhum flanco de ataque, entre aspas, ao Judiciário”, criticou.

A decisão unânime, 3 votos a 0, que manteve a sentença contra o ex-presidente pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do tríplex do Guarujá (SP) e aumentou a pena em dois anos e meio diminuiu as possibilidades de recurso do petista. Sem divergência entre os magistrados, o petista perde o direito a propor embargos infringentes contra a decisão, o que permite que a pena seja executada em cerca de um mês.


Na entrevista, a presidente do PT também criticou o juiz federal substituto Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília, que ordenou a apreensão do passaporte de Lula. Leite, chamado de “desqualificado” pela petista, teria “se metido num caso que não tem nada a ver com ele para ganhar cinco minutos de fama”. Responsável pelo processo contra o ex-presidente na Operação Zelotes, o juiz determinou, a pedido do Ministério Público, que o ex-presidente seja proibido de viajar alegando que a condenação no TRF4 tornou “real e iminente” a possibilidade de prisão de Lula.

PREVISÃO DO TEMPO

CURTA O LD

SEGUIDORES

Postagens mais visitadas deste blog

Enquete: qual candidata você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2017?

Organizador do Bike Serra morre em acidente em Lages

Homem cai dentro de túmulo no Cemitério Cruz das Almas, em Lages