Em uma casinha formosa e elegante, Papai Noel recebe seus admiradores em plena praça central

Sim, ele existe, e está morando no Centro de Lages.

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Daniele Mendes de Melo / ASCOM PML

Difícil quem mora em Lages ou passa pela cidade e não se lembra do Papai Noel que ficava na porta das lojas acenando e chamando as crianças para dar um abraço e oferecer uma bala ou bombom. Os tempos mudaram e tudo se modernizou. Agora ele tem a sua própria casa para receber os lageanos, visitantes dos municípios vizinhos e turistas. Em uma das praças mais movimentadas, no corre-corre do dia a dia não tem ninguém que passe sem dar aquela “espiadinha” na Casa do Papai Noel do Natal Felicidade, montada na Praça João Ribeiro, a famosa Praça da Catedral.

Um ambiente dividido entre sala e cozinha conjugadas e quarto, onde os sonhos parecem ser realizados em poucos instantes. Tem árvore com pisca-pisca, lareira, e a mesa está sempre posta - a comida é de verdade. Outros artigos natalinos, como a árvore gigante e as caixas de presente, soldados de chumbo, casinhas nas árvores e o presépio, ajudam a compor o verdadeiro mundo de fantasias, em que todos viram criança novamente.

A Casa do Papai Noel e da Mamãe Noel, onde está guardada a Chave da Cidade, está de portas abertas desde segunda-feira (4 de dezembro) e não fechará até dia 23 de dezembro. Até sábado (9), abrirá das 13h às 19h. A partir do dia 10 (domingo) será das 14h às 21h. É coordenada pela Diretoria de Turismo, da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo, com suporte da Fundação Cultural de Lages (FCL) e do Lions Clube Copacabana. “As pessoas que visitam o Papai Noel encontram um lugar totalmente decorado e muito lindo. Ele está sempre sentado na sua poltrona aguardando seus amigos e posar para fotos, receber cartinhas com pedidos de presentes, ouvir e conversar com as crianças, adolescentes, adultos e idosos. É um lugar especial e mágico”, pontua a diretora de Turismo, Juraci Lamin.

📷 Daniele Mendes de Melo / ASCOM PML

Olha lá onde ele está

Com as inconfundíveis roupas e touca vermelhas, botas pretas e uma barba longa e branca como a neve, Papai Noel, discreto e tranquilo, sorri para cada um que se aproxima. Com sotaque, já que vem lá do Polo Norte, se assemelha à pureza das crianças. “Ho, ho ho! As pessoas estão elogiando muito a nossa Casa. Estamos aqui nos divertindo com brincadeiras, piadas, muita risada. Normalmente as crianças pedem saúde, depois um brinquedo, a maioria uma bola ou uma boneca, depois aparelhos eletrônicos, como tablet e telefone celular. Os pequeninos mais humildes pedem cesta básica”, lembra Noel. Os adultos não perdem a chance e também listam seus pedidos. “Pedem saúde. O pessoal da juventude que não tem par vem e pede para arrumar namorado. Os estudantes querem uma ‘mãozinha’ para passar de ano.”

No domingo, ele chegou com suas renas em um trenó aquático no Parque Jonas Ramos (Tanque). Ao longo do ano, acompanha tudo que acontece no mundo através das tecnologias, afinal, Papai Noel tem de se atualizar. “Lá do Polo Norte estou por dentro de tudo, além de comandar os duendes na fabricação de brinquedos, chocolates e outros doces. E aí a gente se prepara para voltar a Lages numa nova viagem. Adoro Lages.” Já a Mamãe Noel tem uma mensagem compacta: “A paz e a união são os melhores presentes que vêm do coração.”

Em 2017 o mundo passou por percalços que ficarão na memória. Violência por causa de drogas, conflitos por territórios, guerras de crenças, intolerância, mas o Papai Noel tem alternativas para que a situação melhore, principalmente na terra de Jerusalém, onde Jesus Cristo nasceu. “Todos temos de ter espírito cristão e pregar a harmonia. Tem de reinar a paz e a alegria. É um trabalho individual com efeitos coletivos.”

Sim, ele existe

A tarde ensolarada desta quarta-feira (6 de dezembro) foi propícia para um passeio com os filhos. A dona de casa, Vera Denise Machado, está grávida de seis meses e terá um menino, Joaquim. Ela é mãe de Henrique, de cinco anos. Para ela, “é sempre bom manter essa energia do Natal. Precisamos que os sonhos sejam alimentados nas crianças, pois já não acreditam em muitas coisas. O que desejo para o bebê? A gente sempre pensa no melhor, que o mundo seja mais tranquilo. Torço para que tudo melhore.”, revela a mamãe, otimista, enquanto seu primogênito diz: “Achei a Casa do Papai Noel bonita e legal.”

A dona de casa, Camila Nievola Rosa, 23 anos, mora no bairro Bom Jesus, e levou as duas filhas, Ana Laura, de dois anos e Alice, de três, para ver o “Bom Velhinho”. Encantadas com a Casa, percorreram os dois cômodos e conheceram o baú de brinquedos. “Elas estavam curiosas para saber quem era o Papai Noel. Em casa a gente montou nosso pinheirinho para vivenciar este espírito bom do Natal”, destaca a jovem, recordando bons sentimentos de quando era criança. “Eu tenho uma foto com o Papai Noel quando a casinha era mais abaixo, no Centro. Faço para elas o que minha mãe fazia quando eu era pequena. Esta figura significa a união da família, um símbolo que nos une.” E para suas pequeninas, ela deseja algo simples, porém, fundamental. “Saúde. É o melhor presente.”

O casal Délison de Jesus Carneiro e Rosana Aparecida de Lima, mora no bairro Santa Helena e levou as filhas Vitória, de 1,5 anos; Brenda, de cinco e Jasmin, de sete anos, para ver a personagem mais querida do Natal em todo o mundo. “A Casa está bonita”, resume o pai das meninas, enquanto a mãe organiza tudo para que todas possam sair bem nas fotos. “O Natal significa muita coisa, paz, amor, alegria”, salienta a mãe. Tímidas, Brenda e Jasmin acenam com a cabeça que “sim”, gostaram de ver o “Bom Velhinho” tão de perto, além de ganhar colo, balas e carinho. “Eu quero uma Barbie de Natal”, diz Jasmin, enquanto a irmã entra no embalo: “Eu também quero uma Barbie.” 

Doação de brinquedos

As cartinhas recebidas pelo “Bom Velhinho” são depositadas na urna da Árvore dos Desejos, da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), deixada dentro da Casa do Papai Noel. As cartas serão recebidas até dia 19 para haver tempo hábil de entrega dos itens solicitados. Pouco mais de mil pedidos foram atendidos em 2016. As cartas são cadastradas pela CDL e após os envelopes retornam para a Casa do Papai Noel para que a comunidade possa apanhar pedidos e atendê-los.  É essencial que nas cartas tenha nome, endereço e telefone para efetividade do cadastro e localização para entrega do presente.

Claine Andrade, da CDL, reitera que a parceria entre a Câmara e a prefeitura foi ampliada neste ano. “As pessoas que desejam apanhar a carta na urna e presentear a criança, assim poderá fazer. Ou o brinquedo poderá ser entregue na própria CDL até dia 20 e as nossas entregas poderão ser acompanhadas.”

Solidariedade entre crianças

Paralelamente às cartas, a Casa do Papai Noel está recebendo brinquedos usados em bom estado de conservação para serem repassados por crianças para outras crianças. Basta entregar o presente durante os horários de funcionamento da Casa.


PREVISÃO DO TEMPO

CURTA O LD

SEGUIDORES

Postagens mais visitadas deste blog

Polícia

Enquete: qual candidata você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2017?

Organizador do Bike Serra morre em acidente em Lages