Aferições em lombadas eletrônicas serão realizadas durante três dias em Lages

Agentes de trânsito utilizam sinalização física para orientar motoristas.

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Divulgação

A
lgumas das principais lombadas eletrônicas e semáforos do perímetro urbano de Lages estão passando por uma averiguação de suas condições favoráveis de funcionamento, em atendimento às normas específicas. O serviço está sendo efetuado pelo Grupo Aliança, de Blumenau, prestadora de assistência técnica, em serviço de conformidade ao Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). O aparelho utilizado neste trabalho denomina-se cronotacômetro ou cronotacógrafo.

Nesta segunda-feira (4), os técnicos em atividades de fiscalização aferiram as velocidades registradas pela lombada eletrônica situada na avenida Santa Catarina, bairro Santo Antônio, em direção ao Conte.

Para esta terça (5) estão programadas, a partir das 8h, as conferências de dispositivos com visória de rotina na avenida Presidente Vargas, na altura do número 2.000 e avenida Dom Pedro II no número 3.270. Na quarta (6), às 8h, deve começar a verificação do mecanismo eletrônico situado na avenida Luís de Camões (Coral), número 1.975; na avenida Belizário Ramos (Carahá), número 2.245, e no cruzamento da avenida Carahá e rua Frei Gabriel. As áreas concernentes a esta atividade são devidamente interditadas para proporcionar segurança aos motoristas.

O gerente na Diretoria de Trânsito (Diretran), Rogério Juary Gonçalves de Almeida, explica que todo equipamento eletrônico tem de ser aferido uma vez por ano pelo Inmetro. “Para ser visto se o funcionamento e desempenho estão em bom estado. Os técnicos passam com o veículo diversas vezes, com velocidades diferentes em cada uma delas, e conferem se a marca do aparelho condiz com a aparente no velocímetro. Passam a 30, 40, 60, 80 quilômetros por hora. Há um equipamento específico e apropriado para esta tarefa”, complementa.

Como o serviço procede

Os aparelhos passam por testes, sendo que o próprio veículo do Inmetro, com a devida caracterização e identificação de fiscalização em suas placas, passa pelas lombadas de ambos os lados com diversas variáveis de velocidade na via. Quando se trata da primeira vez de testes, em novas lombadas, o veículo passa cerca de 20 vezes pela lombada. As anotações são repassadas ao sistema do Inmetro, quando é lançada toda documentação em seu sistema, com emissão de laudos e certificados. Quando já não é a primeira vez, após, a cada um ano, passa cinco vezes em testes obrigatórios e de rotina para ajustes de eventuais problemas. 

Passo a passo

A medição das velocidades é realizada a partir de um aparelho denominado cronotacômetro ou cronotacógrafo, instalado no próprio veículo prestador de serviço do Inmetro, sendo que a constatação da velocidade acontece no instante em que o veículo passa por cima dos dois laços indutivos, que são desenhos sobre o a via. Ao rodar sobre os laços, é gerado um pulso eletromagnético, captado pelo radar, mecanismo que entende a velocidade cujo veículo passou. Quando passa pelo primeiro laço (são dois em cada mão de via) começa a ser calculado o tempo que o veículo levou para atravessar o segundo laço, com a velocidade, calculando-se também a sua velocidade. No momento em que passa no segundo laço indutivo a velocidade é congelada e registrada no dispositivo indicador que todos conhecem. Os laços estão a cerca de 40 metros do dispositivo indicador. Ao contrário do que grande parte dos motoristas imagina, a velocidade é constatada já desta distância, e não bem em frente à lombada.

Margens

Ao efetuar a verificação in loco nas pistas, percebe-se uma margem de medição por parte da empresa responsável pelas lombadas eletrônicas, que é de cinco quilômetros por hora. Já a legislação do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) dá a margem de sete quilômetros por hora marcados no dispositivo da lombada. Ou seja, no caso da Duque, por exemplo, a regra é de 40, porém, o tolerável é 47 quilômetros por hora. Acima disto, a imprudência gera multa ao proprietário do veículo/condutor por conta do excesso. No caso da Duque, onde se deve passar  em até 40 por hora na lombada, se o motorista passar em 48, por exemplo, matematicamente o número volta para 41, sendo constatada infração média em que pese multa de R$ 85,12 e quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) por ser constatado excesso do limite em até 20%. São três os pontos de infração: em até 20% sobre a velocidade permitida; entre 20% e 50%, e acima de 50%.

O que é

O cronotacógrafo é um instrumento ou conjunto de instrumentos destinado a indicar e registrar, de forma simultânea, inalterável e instantânea, a velocidade e a distância percorrida pelo veículo, em função do tempo decorrido assim como os parâmetros relacionados com o condutor do veículo, tais como o tempo de trabalho e os tempos de parada e de direção. Este procedimento estabelece uma operação otimizada no intuito de se obter resultados dos ensaios em um cronotacógrafo “in situ”.


PREVISÃO DO TEMPO

CURTA O LD

SEGUIDORES

Postagens mais visitadas deste blog

Polícia

Enquete: qual candidata você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2017?

Organizador do Bike Serra morre em acidente em Lages