Só em junho, mais de 1.700 pessoas faltaram em consultas agendadas em Lages

As Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estão sendo orientadas a divulgarem os dados para conscientizar a população.

Por LAGES DIÁRIO,
em Lages/SC

📷 Toninho Vieira / ASCOM PML

A
Secretaria Municipal de Saúde de Lages, na Serra Catarinense, divulgou nesta terça-feira (11), um dado alarmante sobre o número de pessoas que não compareceram às suas consultas agendadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) ao longo do mês de junho.

De acordo com os dados divulgados, mais de 1.700 pessoas faltaram às consultas agendadas, apenas no mês de junho. Segundo a diretora de Atenção Básica do município, Francine Formiga. “Considerando que cada médico realiza em meia dez atendimentos por período, esse número de faltantes significaria deixar dois médicos ociosos durante um mês inteiro”, aponta Francine.

No primeiro semestre, o relatório da Secretaria de Saúde de Lages aponta que foram realizadas mais de 74 mil consultas médicas e mais de 17 mil consultas de enfermagem.

Sobre a situação de falta na consultas médicas, a Secretaria está orientando às UBSs a exporem murais sobre a quantidade de pessoas faltantes para conscientizar à população. “Algumas pessoas se queixam de falta de médicos, mas todas as Unidades estão assistidas. Temos 49 equipes, a maioria com médicos da Família que cumprem jornada de 40 horas semanais, e alguns médicos de produção que atendem às Unidades que não possuem médicos efetivos”.


A Secretaria de Saúde solicita aos pacientes que porventura já realizaram suas consultas em estabelecimentos privados ou não poderá comparecer no dia marcado, que comunique a Unidade Básica com antecedência para desmarcar ou remarcar a consulta. “Por uma questão de respeito e sensibilidade, para não tirar a vaga de outras pessoas”, pondera Tatiane Matos, gerente das Unidades Básicas de Saúde (UBSs).