Divulgado boletim atualizado da situação da gripe em SC

Ao todo de janeiro até a primeira quinzena de julho, foram registrados 950 casos suspeitos da doença no Estado.

Por NÚCLEO DE COMUNICAÇÃO DA DIVE/SC
em Florianópolis/SC

📷 Ilustrativa

D
e 1º de janeiro a 15 de julho de 2017, semana epidemiológica (SE) 28, foram notificados 950 casos suspeitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em Santa Catarina. Destes, 226 (24,9%) foram confirmados para influenza, sendo 1 (0,5%) pelo vírus Influenza A (H1N1)pdm09, 200 (92,6%) pelo vírus A(H3N2), 3 (1,4%) estão aguardando subtipagem para identificação do tipo de vírus influenza A e 22 (10,2%) pelo vírus influenza B. Outros 533 (56,1%) casos de SRAG tiveram resultado negativo para influenza A e B (SRAG não especificada), 174 (18,3%) SRAG por outro vírus respiratório, 1 (0,1%) SRAG por outros agentes etiológicos e 16 (1,7%) casos se encontram em investigação, aguardando confirmação laboratorial.


Os municípios que apresentaram casos confirmados de SRAG pelo vírus Influenza foram: Blumenau com 17 casos; Joinville com 16 casos; Mafra com 14 casos; Florianópolis com 13 casos; Itajaí com 12 casos; Videira com 10 casos; Araranguá com 7 casos; Balneário Camboriú, Braço do Norte, Brusque, Lages e Tubarão com 6 casos cada; Palhoça e São Bento do Sul com 5 casos cada; Caçador, Criciúma, Ibirama, e Tunápolis com 4 casos cada; Águas Mornas, Canoinhas, Capivari de Baixo, Chapecó, Pinheiro Preto, Pomerode e Rio do Sul com 3 casos cada; Concórdia, Cunha Porã, Fraiburgo, Gaspar, Gravatal, Imbituba, Jaguaruna, Jaraguá do Sul, Monte Castelo, Rio Negrinho, Sangão, São Joaquim, São Miguel do Oeste e Taió com 2 casos cada; Balneário Arroio do Silva, Camboriú, Catanduvas, Içara, Ilhota, Imbuia, Indaial, Iomerê, Itapema, Ituporanga, Laguna, Lageado Grande, Lontras, Maravilha, Presidente Getúlio, Rio das Antas, Salto Veloso, Santa Rosa de Lima, Santo Amaro da Imperatriz, São Francisco do Sul, São José, São Ludgero, Siderópolis, Tangará, Tijucas, Urussanga e Xaxim, com 1 caso cada; e 5 casos residentes em outros estados. 

Os dados contidos nesse informe são da vigilância universal de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que monitora os casos hospitalizados e óbitos com o objetivo de identificar o comportamento do vírus influenza, orientando os órgãos de saúde na tomada de decisão frente à ocorrência de casos graves de SRAG causados pelo vírus. Os dados são coletados pelas Secretarias Municipais de Saúde por meio de formulários padronizados e inseridos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação on-line: SINAN Influenza Web. As amostras laboratoriais são coletadas e encaminhadas para análise ao LACEN/SC. As informações apresentadas neste informe são referentes ao período que compreende as semanas epidemiológicas (SE) 01 a 28 de 2017, ou seja, casos com início de sintomas de 3/1/2017 a 15/07/2017. (Dados sujeitos a alterações).

Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) são casos de síndrome gripal que evoluem com comprometimento da função respiratória, sem outra causa específica que, na maioria dos casos, levam à hospitalização. Os casos podem ser causados por vírus respiratórios, dentre os quais predominam os da influenza do tipo A e B; ou por bactérias, fungos e outros agentes.


PREVISÃO DO TEMPO

CURTA O LD

SEGUIDORES

Postagens mais visitadas deste blog

Polícia

Economia e Política

Enquete: qual candidata você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2017?