Mais de 300 desabrigados em Lages por causa das chuvas

Boletim atualizado às 22h30 aponta ainda que o nível do rio Carahá continua subindo, mas com maior lentidão, nível está em 7,36 metros acima do normal.

Por LAGES DIÁRIO,
em Lages/SC

📷 Carlos Alberto Becker / ASCOM PML

A
Defesa Civil divulgou às 22h30 mais um boletim atualizado sobre a situação em Lages após as chuvas de domingo e de ontem, segunda-feira (5). O nível do rio Carahá continua subindo, agora com maior lentidão e o número de desabrigados aumentou passando dos 300 que estão alocados em sete abrigos, sendo só no da Sede do Pinheirinho, na BR-282, são 100 pessoas.


O rio Carahá na medição das 22h30 atingiu a marca de 7,36 metros e estava subindo três centímetros por hora, ao longo do dia ele estava subindo cerca de 10 centímetros por hora. A situação ainda é preocupante, pois o rio não está escoando devido ao rio Caveiras que também está com nível elevado e também já transbordou em alguns pontos.

São 20 bairros afetados pelas chuvas dos últimos dois dias, sendo os mais afetados os bairros Habitação, Caça e Tiro, Várzea e Ferrovia, devido aos transbordamentos dos rios Carahá, Ponte Grande e Caveiras. A Defesa Civil monitora a situação e continua alertando os moradores que ainda não foram atingidos, mas correm riscos. A boa notícia é que a previsão indica que o tempo apresente uma pequena melhora e não deve chover entre a madrugada e manhã desta terça-feira (6), mas o tempo ainda deve ter instabilidade ao longo dos próximos dias.

A população estimada que foi afetada pelas chuvas dos últimos dias chega a mais de 6 mil pessoas, sendo que 318 estão desabrigadas.

• 30 – Associação de Moradores do bairro Guarujá (lotado)
• 100 – Sede do Pinheirinho – na BR-282
• 61 – Ginásio Jones Minosso (B. Universitário)
• 24 – Associação de Moradores do bairro Universitário
• 60 – Associação de Moradores do bairro Habitação
• 35 – Associação de Moradores do bairro Caça e Tiro
• 08 – Associação de Moradores do bairro Ferrovia

Total de desabrigados: 318 pessoas

Recomendações

A Defesa Civil recomenda maior atenção aos moradores para não entrar em contato com as águas das enchentes pois podem transmitir doenças, além disso recomenda evitar trafegar com veículos em áreas alagadas, especialmente em pontes ou pontilhões por onde a água está passando por cima e ainda cuidar com crianças próximas a rios e ribeirões.

Sobre a situação de deslizamentos de terra, o órgão orienta os moradores que se virem alguma movimentação de terra ou rochas próximas a residências, inclinação de postes e/ou árvores ou ainda rachaduras em muros e paredes, deixem o local imediatamente e acionem a Defesa Civil ou o Corpo de Bombeiros.

Já em caso de tempestades com descargas elétricas (raios) e ventos fortes, a orientação é que procure um local abrigado, longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados. Se não encontrar um abrigo, agache-se com os pés juntos, com a cabeça encostada no peito ou entre os joelhos e as mãos cobrindo suas orelhas ou apoiadas em seus joelhos. Se estiver em casa ou qualquer outro local abrigado, desligue aparelhos eletrônicos, não use o telefone, fique longe de janelas e lembre-se, o banheiro em alvenaria é o melhor local durante uma tempestade.


Para qualquer emergência relacionada às chuvas, o telefone de plantão da Defesa Civil é o 199 ou (49) 9 8406-4037, ou ainda o 193 do Corpo de Bombeiros.

PREVISÃO DO TEMPO

CURTA O LD

SEGUIDORES

Postagens mais visitadas deste blog

Polícia

Enquete: qual candidata você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2017?

Música