Leilões em Lages alcançam R$ 3 milhões em faturamento

O volume de negócios levou em conta a soma das duas etapas da Feira do Terneiro (a) e um leilão de cavalos.

Por ASSESSORIA DE IMPRENSA do
SINDICATO RURAL DE LAGES,
em Lages/SC

📷 Divulgação

A
segunda etapa da Feira do Terneiro e da Terneira realizada neste último sábado (13), no Parque Conta Dinheiro teve melhor resultado do que a do sábado anterior (6).  O fechamento alcançou R$ 1,4 milhão, com a venda de todos os 1,1 mil animais. Destaque para os machos que tiveram um número superior, 655, e que tiveram também um valor médio do quilo em pé de R$ 6.93. Nas vendas das fêmeas, o preço fechou em R$ 6,15. Somando os resultados das duas etapas, e, incluindo do leilão de cavalos na noite do dia 6, que obteve mais de R$ 300 mil de faturamento, o volume geral de negócios atingiu, em apenas uma semana, quase R$ 3 milhões. “Quem comprou os animais ofertados nestas duas etapas, deve estar certo de que adquiriu o melhor resultado alcançado pelos nossos produtores”, salientou o presidente do Sindicato Rural de Lages, Márcio Pamplona.



A cada batida do martelo do leiloeiro Delamar Macedo, da Camargo Agronegócios, notava-se a constatação da presença de compradores de diversas regiões do Estado. Logo nos primeiros lotes vendidos, os arremates iam correspondendo a expectativa de bons negócios. E, conforme Márcio Pamplona avaliou o resultado de tudo isso fez com que se reafirme que a pecuária é um setor do agronegócio consolidado, especialmente de animais produzidos em Lages, e que geram renda aos produtores associados. Dados da Epagri demonstram o avanço da pecuária catarinense. “Em 2011 o rebanho era de aproximadamente 4 milhões de animais. Em 2015, perto de 4,4 milhões. Um crescimento de 8,5%, enquanto que a média nacional foi de apenas 1,12%”, destacou o dirigente rural.