Câmara Florestal discute o desenvolvimento do setor, em Lages

Humoristas estarão se apresentando nesta sexta-feira (5) no Teatro Marajoara.

Por CATARINAS COMUNICAÇÃO,
em Lages/SC

📷 Catarinas Comunicação / Divulgação

C
om o objetivo de fortalecer e estreitar o vínculo entre a Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), setor florestal e madeireiro e poder público, reuniões técnicas estão sendo realizadas pelo estado com o objetivo de apontar demandas de interesse do setor para que sejam encaminhadas ao poder legislativo estadual e federal.


O presidente do Sindimadeira, José César Feldhaus, lembra que as reuniões servem também para informar e atualizar os associados sobre o ramo madeireiro e florestal. O último encontro ocorreu na noite desta quinta-feira, em Lages, e contou com a participação de empresários e representantes do Governo do Estado e da Assembleia Legislativa.

Os representantes da Unidade de Competitividade Industrial da Fiesc, Luiz Fermino Hames Júnior e Felipe de Souza Lima Senne, acompanhados do diretor Jurídico da entidade, Gustavo Ganz Seleme, explicaram a maneira de articular as ideias junto com os poderes Executivo e Legislativo, pois a Federação pode emitir uma opinião técnica facilitando a comunicação entre o sindicato e os governos.

Para isso, apresentaram a Agenda Legislativa da Indústria, que pode ser baixada em celulares, smartphones e tablets. Nesta plataforma, os proprietários podem consultar os projetos de lei em andamento, como o 116/2016, que garante a criação de novas Unidades de Conservação mediante a regularização daquelas já existentes. “Essas reuniões envolvem a representação dos sindicatos para levar informação aos associados. E se tornam ainda mais importantes em conjunto com a Câmara que agrega todos os sindicatos da base florestal e da madeira. A Fiesc sempre irá apoiar este tipo de iniciativa”, disse o vice-presidente da Fiesc para a Serra Catarinense, Israel Marcon.

“As opiniões que a Federação emite vêm dos sindicatos e das câmaras, que consultam seus associados para formar uma opinião que realmente atenda o setor, e não apenas uma ou duas empresas. Nós queremos mostrar aos legisladores, que através da Fiesc, eles têm instrumento de consulta ao setor industrial”, conclui o presidente da Câmara de Desenvolvimento da Indústria Florestal, Odelir Battistella.

O vice-presidente da Frente Parlamentar da Madeira, Nilso Berlanda, destaca a importância da união de forças para fazer com que o Governo do Estado e a Secretaria da Fazenda atentem para as reivindicações do setor que representa o segundo maior Produto Interno Bruto (PIB) do estado e gera cerca de 95 mil postos de emprego direto.

PPPs e CAR também entraram na pauta

Ainda durante o encontro de quinta-feira, o vice-presidente da Câmara de Desenvolvimento da Indústria Florestal e pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Edson Tadeu Iede, mostrou o resultado da Parceria Público-Privada para combater uma praga de 1989. Assim, buscou motivar os empresários a buscarem parcerias com resultados.

Já para alertar sobre a importância do Cadastro Ambiental Rural (CAR), o gerente de Recursos Minerais da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, José Emídio Trilha Ribeiro Júnior, explicou que o CAR tem como objetivo monitorar, planejar e controlar não só o meio ambiente, mas também a propriedade, evitando, dessa forma, o desmatamento e o mau uso econômico.

O cadastro pode ser feito até o dia 31 de dezembro deste ano e é um registro público e eletrônico dos imóveis rurais. Em Lages, 78,14% dos imóveis rurais estão cadastrados. O gerente ressalta que os proprietários que não estiverem com o cadastro em dia poderão ter complicações futuras, como para adquirir insumos e contrair empréstimos.


PREVISÃO DO TEMPO

CURTA O LD

SEGUIDORES

Postagens mais visitadas deste blog

Polícia

Enquete: qual candidata você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2017?

Música