Procon percebe diferença de até 56% no preço da barra de chocolate

A conclusão é de que os volumes diminuíram e os preços aumentaram.

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

Diretor do Procon Lages, o advogado Julio Borga. (Foto: Carlos Becker / ASCOM PML)
N
o final do mês de março, o Programa de Defesa do Consumidor (Procon) de Lages desenvolveu a pesquisa especial de Páscoa, com a abordagem do preço de ovos, barras de chocolate e caixas de bombons vendidos nos oito maiores supermercados da cidade. Este levantamento observou as oscilações de valores das três maiores marcas do segmento: Lacta, Nestlé e Garoto, em suas diferentes gramaturas de produto. Além da tabela, está disponível aos consumidores a conferência e os cálculos de flutuação de preços.

Considerada a equiparação entre 2016 e 2017, a líder da diferenciação de preço foi a barra de chocolate. Em 2016, a barra de determinada marca, com 180 gramas custava R$ 4,70, e neste ano, a barra com 125 gramas custa R$ 5,10. A diferença é de 56,26%. Em relação à caixa de bombons, determinada marca apresentava o valor de R$ 8,10 em 2016, com 400 gramas, e em 2017 está a R$ 8,32, sendo a caixa com 300 gramas, resultando na variação de 36,94%. A conclusão é de que os volumes diminuíram e os preços aumentaram. O comparativo completo poderá ser visualizado no link.


O trabalho do Procon traz, ainda, o comparativo do preço médio da cesta básica com os itens essenciais em alimentos, higiene pessoal e limpeza doméstica. Em março, a cesta custou R$ 233,18, com variação de -2,83% em relação a fevereiro. Demais dados, como comparações entre janeiro e fevereiro e o acumulado do ano, também constam na tabela de auxílio aos consumidores. As atividades do Procon acontecem sob a supervisão do Executivo Julio Borba.