Memória às Vítimas de Acidentes e Doenças de Trabalho

Cerest de Lages faz evento e alerta para os 20% de aumento de acidentes por ano. Agenda especial segue no dia 28, no Terminal Urbano.

Por ASCOM PML,
em Lages/SC

📷 Carlos Alberto Becker / ASCOM PML

O
número de acidentes e doenças gerados por conta de aspectos diretamente conectados ao exercício da profissão tem chamado a atenção dos profissionais do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest). E o Abril Verde foi estabelecido para que haja a conscientização sobre saúde e segurança do trabalho. Na tarde desta quinta-feira (20), profissionais do Cerest abordaram o público no calçadão da praça João Costa, com entrega de informativos e aferição da pressão arterial. A agenda diferenciada se deve ao dia 28 de abril, Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho. O Brasil registra mais de 700 mil acidentes de trabalho por ano, sendo o quarto lugar no mundo, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), estando atrás somente da China, Índia e Indonésia.


Um estudo do Cerest levantou o índice de que nos últimos cinco anos houve aumento de 20%, a cada ano, dos casos de acidentes e doenças do trabalho. “Notória a situação da crise de recessão econômica pela qual o Brasil está passando e a questão da Previdência Social. Há mais pessoas acessando os benefícios da Previdência. Discutir o assunto é primordial”, pontua o gerente do Cerest em Lages e Associação dos Municípios da Região Serrana (Amures), Emerson Luiz da Silva, ao salientar, ainda, ser salutar que as empresas realizem um trabalho de treinamento e orientação de seus colaboradores, bem como exigir o uso contínuo de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), se fornecidos com as devidas condições de trabalho, entre outras ferramentas de segurança física, e sublinhar a iniciativa de que os artigos são para seu próprio benefício. Construção civil, acidentes de trajeto e de motocicletas (deslocamento de funcionários e serviços de motoboys, entregadores de pizzas e lanches e de autônomos) lideram as demandas do Cerest. Funcionários com carteira assinada, contratados ou autônomos, têm direito aos serviços do órgão.

Estrutura organizacional

O Cerest oferece atendimento por médico do trabalho, fisioterapeuta e psicólogo. Um plano de ação foi elaborado para execução este ano. Entre os objetivos, fomentar uma parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo, campanha de prevenção nas escolas em forma de palestras, conscientização junto aos 34 sindicatos de Lages, com participação do Fórum Sindical e atuação anti-tabagismo devido ao alto contingente de fumantes nas empresas. Existem cerca de cinco mil currículos cadastrados junto ao Banco do Emprego e serão ministrados cursos de aperfeiçoamento do Programa Qualifica Mais Lages - boas práticas em saúde e segurança do trabalho, para que as pessoas ingressem ao mercado já cientes da importância dos cuidados. Para o dia 27 de novembro está programado um seminário em comemoração ao Dia Nacional dos Profissionais de Saúde e Segurança do Trabalho.

Dia 28 de abril

No dia 28 de abril (sexta-feira), no Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, haverá uma ação especial no Terminal Urbano, no centro da cidade, a partir das 17h30min até as 10h, com distribuição de livretos e orientações. Geralmente, o Cerest recebe denúncias do Ministério Público do Trabalho e mantém parceria também com o Hospital Nossa Senhora dos Prazeres e com as Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Os nomes dos pacientes atendidos são encaminhados e o Cerest entra em contato para estar-se inteirado se o cidadão está sendo amparado pela empresa. Nos casos negativos, o Cerest presta suporte gratuitamente por se tratar de um serviço público.

As dores invisíveis

Dores físicas podem surgir de problemas emocionais, e acabam sendo somatizadas. Estresse, transtornos de humor, como a depressão e a bipolaridade, e Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) são alguns exemplos de problemas. O psicólogo Paulo Panatta observa ser o ofício em si essencial para o ser humano, no entanto, pode ser uma fonte de doenças, principalmente as emocionais. Está em voga atualmente o estresse devido à cobrança, pressão e correria do dia a dia. “Muitas vezes o trabalhador não se acalma para pensar em si mesmo, em sua saúde. É fundamental mudar de pensamento e sua atitude, ter um hobby. É o que mostramos às pessoas através da prevenção para que haja momentos de paz e tranquilidade”, esclarece.

As enfermidades


Os problemas vinculados à execução de movimentos repetitivos diários (Lesões por Esforço Repetitivo - LER) fazem parte da lista de grande parte dos acidentes, como exemplos estão ferimentos em punho e mão, fraturas, luxações, amputações, lesões, traumatismos, sinovite, tenossinovite, Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort), lesões no ombro e dorsalgia. Acidentes típicos e de trajeto também aparecem nas estatísticas. Assédio moral e sexual, e violência organizacional são formas de adoecimento do trabalhador. Transtornos mentais e comportamentais, como episódios depressivos, de estresse e ansiedade também são comuns.