Carnaval 2017

Tijuca faz desfile dramático com acidente em carro e corre risco de ser rebaixada
Topo de alegoria desabou sobre integrantes. Bombeiros mandaram carro parar e alas tiveram que desviar para seguir com desfile, que teve graves problemas de evolução.

Por G1 Rio,
no Rio de Janeiro/RJ

Bombeiros retiram feridos de carro da Unidos da Tijuca após acidente 📷 Alexandre Durão / G1

A
Unidos da Tijuca viveu momentos dramáticos assim que pisou na Sapucaí, no quarto desfile da noite desta segunda-feira (28) do Grupo Especial do Rio. O topo do segundo carro cedeu, e integrantes da escola ficaram presos na estrutura. Os bombeiros mandaram parar o carro e entraram na alegoria para socorrer os feridos. Por causa do acidente, a Tijuca parou com menos de 10 minutos na avenida. Ao todo, 12 pessoas ficaram feridas – oito tiveram crise de ansiedade. Seis pessoas foram transferidas para hospitais, sendo dois casos considerados mais graves.


A Tijuca ficou praticamente parada por cerca de meia hora. As alas tiveram que desviar da alegoria no início da Sapucaí para poder entrar na avenida e seguir com o desfile, mas nenhum outro carro conseguia passar.

Só depois que todos os feridos foram socorridos, os bombeiros liberaram a movimentação do carro. A escola tentou retirar a alegoria pelo primeiro recuo, mas não conseguiu.

O carro quebrado, então, teve que passar pela avenida com poucos integrantes sentados e alguns bombeiros, o que vai custar pontos à escola.

Como muitas alas tiveram que entrar na avenida antes dos carros, o desfile perdeu coerência, o que também pode resultar em notas baixas para a Tijuca.

Com mais de 50 minutos de desfile, a comissão de frente não havia chegado à dispersão. A bateria não foi para o recuo por falta de tempo, e a escola precisou correr muito com o desfile. Por causa do acidente, a Tijuca cruzou o portão da dispersão com 1h16, estourando em um minuto o tempo limite.

O carro que aconteceu o acidente era sobre o jazz e o carnaval de Nova Orleans, nos EUA. A alegoria tinha cerca de 3 metros de altura e muitos componentes.

Parte dos integrantes da escola chorou durante o desfile, por causa do acidente e dos problemas que podem fazer com que a Tijuca seja rebaixada. A escola está no Grupo Especial desde 1999, quando foi campeã da Série A. Ela foi campeã três vezes nos últimos sete anos na elite do carnaval do Rio.

A Tijuca contou em 28 alas e 6 alegorias a história da música norte-americana. O desfile foi cheio de referências pop, com ícones da música como Elvis, Michael Jackson e Byoncé, além de referências ao cinema e à cultura pop dos Estados Unidos. Forma 3,5 mil componentes na avenida.

Integrantes da bateria da Unidos da Tijuca choram após acidente com carro da escola 📷 Alexandre Durão/G1
Os acidentes com carros alegóricos marcaram este carnaval do Grupo Especial do Rio. Tijuca, Paraíso de Tuiuti, Mocidade e União da Ilha tiveram problemas com as alegorias nos dois dias de desfile.


Além do acidente com o carro da Tijuca, uma alegoria da Tuiuti bateu contra uma grade em frente ao setor 1 e deixou 20 pessoas feridas. Uma mulher caiu de uma estrutura durante o desfile da Mocidade, mas não se feriu, e a União da Ilha sofreu com problemas no quinto carro.

📷 Editoria de Arte/  G1

PREVISÃO DO TEMPO

CURTA O LD

SEGUIDORES

Postagens mais visitadas deste blog

Polícia

Enquete: qual candidata você acha que será a rainha da Festa do Pinhão 2017?

Organizador do Bike Serra morre em acidente em Lages