Natal e Ano Novo

 NATAL FELICIDADE 
Noite de músicas contemporâneas e cristãs, pois Jesus está prestes a comemorar aniversário
A dois dias do encerramento, foram três apresentações de corais e mais três shows.

Foto: Silviane Brum / Divulgação 


Por
ASSESSORIA DO MUNICÍPIO DE LAGES
em Lages/SC
Orar e refletir sobre o futuro da humanidade é uma das propostas do Natal Felicidade. E nada melhor do que se entrelaçar às crenças para melhor compreender o propósito desta data, levada em consideração a retrospectiva pessoal, profissional e coletiva de cada ser humano. O Coral Martin Luther presenteou o público com um show de músicas cristãs/gospel tradicionais na 21ª noite de Natal Felicidade (quarta-feira), 21 de dezembro, no Teatro Municipal Marajoara.


O Coral pertence à Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Lages. O nome é uma referência a Martinho Lutero, líder da reforma protestante do século 16. Fundado em 1960, pelo então pastor Leonardo Creutzberg, sua primeira apresentação foi no culto de Páscoa daquele ano.

Atualmente, é formado por 26 coralistas, que se reúnem todas as quartas-feiras para os ensaios. O grupo se apresenta nos cultos da comunidade luterana de Lages e em eventos para os quais é convidado. Seu objetivo é o louvor a Deus e o testemunho do Evangelho através da música. Sua presidente é Ilca Köpp Gross e seu regente, Joed Jeffer Ferreira de Mello.

Os meninos da Snippers

Dois garotinhos preocupados com o tratamento que o homem vem dando ao meio ambiente e com os rumos da ação humana diante de tantos conflitos por território e ideologia pelo mundo, surpreenderam a plateia do Natal Felicidade na noite desta quarta-feira (21). Trata-se da banda The Snippers. Arthur Zapelini, de dez anos e Pedro Henrique Maldaner, 11, formaram uma banda com início típico de todo grupo de jovens, ou seja, na garagem de casa. E o que era uma distração virou algo sério no início deste ano. Os meninos são compositores tanto de letras, quanto de melodias e se apresentam com bateria, guitarra e vocal. Duas das canções mostradas ao público abordam a preservação da natureza e a conscientização a partir dos atentados terroristas no Oriente, Estados Unidos (EUA) e Europa. No repertório desta noite foram apresentadas cinco músicas, sendo três composições próprias e duas de outras bandas. “A Natureza”, “As Luzes da Explosão” e “Homens de Preto, além de “É Preciso Saber Viver”, da banda Titãs, e “O Sol”, de Jota Quest.  

Os Pacheco: Uma família unida pelos acordes

A Família Pacheco literalmente trouxe um “clima” família para o Natal Felicidade nesta quarta. No roteiro de canções esteve Ed Sheeran, Amy Winehouse, Mallu Magalhães, Joe Cocker, até samba e uma versão curiosa de “Garçom” de Reginaldo Rossi, em jazz. Músicas autorais também foram executadas. Com repertório voltado à Música Popular Brasileira (MPB), jazz, pop, rock e blues, a veia artística da Família Pacheco é de responsabilidade dos irmãos gêmeos, os farmacêuticos Márcio e Maurício Pacheco, sempre envolvidos com a música. Influenciados pelos mais variados estilos, profissionalmente caminharam por vias distantes da música, porém, pessoalmente ligados ao mundo musical. Construíram suas famílias baseados em valores em que a música sempre falou mais alto e mesmo morando distantes construíram uma história musical sintonizada. Em Lages, Márcio e Márcia tocam no panorama musical de Lages em voz e violão em diversos estilos com predomínio para a MPB. Manuela, a filha do casal, é a instrumentista que transita por um gosto musical refinado e domina vários instrumentos.

Maurício mora em Foz do Iguaçu e tem atividade musical intensa, tocando com a banda Jazzguaretê e Santana Cover. Ao transitar pela cena musical da Tríplice Fronteira, sua filha Giulia tem voz marcante, domínio do violão e toca em eventos na noite de Foz do Iguaçu, com um repertório descolado. A caçula Eduarda inicia-se na cena musical através do violão, influenciada pela estilo de vida musical da família.

Márcio Pacheco explica que ele e a esposa, Márcia e a filha Manuela, formam uma parte da família, enquanto seu irmão, Maurício e as filhas Giulia e Eduarda, a outra parte. “São seis pessoas unidas pelos laços de sangue e pela música. Esta foi a primeira vez que nos apresentamos todos juntos e também nossa estreia no Natal Felicidade. Fomos convidados e aceitamos alegremente”, conta Márcio, confessando ser um espetáculo prazeroso de se fazer. “O que nos une ainda mais como família, acima de qualquer diferença de idade. Por sermos uma família, qualquer pessoa poderá se identificar em algum momento conosco. Nós nos identificamos com o público”, complementa, ao mencionar que os ensaios foram bem proveitosos, fazendo com que a família se anime a pensar em gravar algum produto oficialmente para o público simpatizante.    

Coral Frei Bernardino: 73 anos

Em 2016, o Coral Frei Bernardino comemora 73 anos. Voltado à apresentação de cantos, na modalidade coral misto (vozes masculinas e femininas), em quatro naipes, a atração esteve voltada ao repertório de tema natalino na noite desta quarta-feira (21), no Teatro Marajoara. A fundação oficial do Coral ocorreu e 22 de novembro de 1943, Dia de Santa Cecília, Padroeira da Música. Inicialmente, denominava-se Coral Santa Cecília da Catedral de Lages. O homenageado, Frei Bernardino Bortolotti, era da Ordem dos Frades Menores (OFM) - Franciscano.  Foi músico compositor, organista, regente, jornalista e secretário da Diocese de Lages, além de secretário particular do primeiro bispo de Lages, Dom Daniel Hostin.

Frei Bernardino foi o regente antes, durante e após a fundação do Coral Santa Cecília da Catedral Diocesana de Lages. No dia 7 de abril de 1966, ele faleceu. Em julho do mesmo ano, em Assembleia Geral, por unanimidade, o Coral Santa Cecília da Catedral de Lages decidiu alterar sua razão social para Coral Frei Bernardino, em justa e merecida homenagem ao seu fundador, compositor de quase 50 obras para corais e para órgão. No mesmo mês, os órfãos coralistas descobriram e convidaram o sacerdote, Frei Nelson Jacob Bunn.  Desde 1981 é integrante da Liga Cultural Artística Alto Uruguai, atualmente Liga Cultural Artística Sul-Brasileira. Desde 1972 o Coral Frei Bernardino agregou-se à Sociedade Musical Lageana, como Departamento.

Daniel Lucena & Convidados

Tido como o maior compositor de Santa Catarina, o cantor e compositor do pop romântico, Daniel Lucena, nasceu em Lages, onde iniciou sua carreira musical participando de festivais estudantis. E ele, um dos maiores símbolos de Lages, se apresentou no Natal Felicidade na noite desta quarta, com o espetáculo “Daniel Lucena & Convidados”. Em 1981, foi um dos fundadores do “Grupo Expresso Rural”, depois “Expresso”, com o qual gravou cinco discos, tornando-os a banda de maior sucesso de todos os tempos em Santa Catarina. Após o término da banda, seguiu sua trajetória e gravou seu primeiro disco solo. Considerado o compositor mais gravado da história de Santa Catarina, tendo suas músicas interpretadas por vários outros artistas, como Nós da Aldeia, Homem Tribal, Estatura Mediana, Neto Fagundes, João Kadela e Sérgio Guimarães. Entre os sucessos da noite estiveram “Certos Amigos” e “Nas Manhãs do Sul do Mundo”.

Coral SOL encerra a noite

Para terminar a noite de shows, mais um coral se apresentou no Marajoara. O grupo SOL trouxe a apresentação de cantos na modalidade coral orfeônico (exclusivamente vozes masculinas) em quatro naipes. As canções natalinas alegraram aos espectadores. O Coral SOL/NB (Sociedade Orfeônica Lageana/Nelson Bunn) foi fundado em 18 de abril de 1994 e inicialmente era mantido pela Associação dos Docentes da Universidade do Planalto Catarinense (Aduniplac). A partir de 2000, o Coral SOL desvinculou-se da Aduniplac e tornou-se novo departamento da Sociedade Musical Lageana. As prioridades de objetivos do Coral são cultivo do canto gregoriano ou canto chão e as tradicionais melodias da liturgia que usava a língua latina. Porém, seu repertório se expande do popular ao clássico. A Magia de Natal finalizou a noite.

Atrações de quinta-feira (22):

20h - Coral Cantos da Serra, de Urupema, no Teatro Marajoara
20h30min - Anjos na Janela no Centro Cultural Vidal Ramos
21h15min - Samba Raiz, no Largo da Catedral
22h - Roupa Nova Cover, no Largo da Catedral

23h - Magia de Natal