Mundo

Expectativa mundial
EUA elegem nesta terça seu novo presidente
Horários de votação variam muito entre os 50 estados americanos.
Nome do 45º presidente deve ser conhecido na madrugada de quarta-feira (8)

Do G1, em São Paulo
(g1.globo.com)

Donald Trump em Golden, Colorado, no dia 29 de outubro, e Hillary Clinton em Las Vegas, Nevada, em 2 de novembro (Foto: AP Photo/Evan Vucci/Andrew Harnik)
As eleições para definir o próximo presidente dos Estados Unidos acontecem nesta terça (8). Embora as eleições americanas não sejam diretas, nas primeiras horas de quarta-feira, Hillary Clinton ou Donald Trump já poderá ser considerado o 45º presidente do país. A posse acontece no dia 20 de janeiro.

Os horários de votação variam muito entre os 50 estados americanos, já que seguem seis fusos diferentes. Dez estados são os primeiros a abrir suas seções, às 6h ou 6h30, que corresponde às 9h ou 9h30 de Brasília.

Como a votação acontece em um dia da semana, os postos eleitorais ficam abertos por um período bem maior do que no Brasil. Em Nova York, por exemplo, abrem às 6h e recebem eleitores até as 21 horas.

Tradição

Em Dixville Notch, um vilarejo de New Hampshire, como manda a tradição, oito pessoas se reuniram para votar à meia-noite (no horário local). A apuração foi rápida: quatro votos para a democrata Hillary Clinton e dois para o republicano Donald Trump. O candidato liberal, Gary Johnson, recebeu um voto e a curiosidade ficou por conta de uma cédula que recebeu o nome do republicano Mitt Romney, candidato derrotado nas eleições de 2012.

Resultados

O resultado deve ser conhecido apenas na madrugada de quarta-feira, como nas eleições anteriores. A exceção foi o pleito de 2000, quando foi necessária a recontagem em alguns distritos, o que atrasou o anúncio.

O voto não é obrigatório, mas os eleitores interessados precisam ter se registrado com antecedência. De acordo com o Pew Research Center (PRC), mais de 225 milhões de americanos estão aptos para votar e, neste ano, a participação dos latinos será recorde.
Habitantes de três cidades do estado de Nova Hampshire têm como tradição terminar o processo de votação em menos de 10 minutos (Foto: Alice Chiche / AFP)

Pesquisas

Uma pesquisa ABC News/Washington Post divulgada na segunda-feira mostrou Hillary liderando por 4 pontos, com 47% das intenções de voto, contra 43% de Trump.

Em uma série de pesquisas divulgadas nesta segunda, Hillary Clinton lidera as intenções de voto. O site Real Clear Politics lista oito pesquisas em que os eleitores não consideraram outros candidatos além dos dois, e Trump aparece na frente em apenas uma, do LA Times/USC Tracking, com vantagem de 5 pontos.

Nas outras sete, Hillary lidera por uma margem que vai de 1 ponto (IBD/TIPP Tracking) a 7 pontos (NBC News/SM). CBS News, Fox News dão a ela 4 pontos de vantagem, Bloomberg e ABC/Washington Post apontam 3 e Monmouth 6.

O site Huffington Post calculou a média entre 375 pesquisas de 43 fontes e atribuiu, também na véspera da votação, 47,5% para a democrata e 42,3% ao republicano.

As pesquisas consideram as intenções de voto dos americanos, mas o candidato eleito não necessariamente será aquele que conseguir o maior número de votos populares em todo o país. Isso porque a eleição não é direta, mas funciona através de um processo complexo, que envolve os estados e é chamado de Colégio Eleitoral.

O candidato que vencer em cada estado será representado no Colégio Eleitoral por uma chapa de delegados – o número de delegados estaduais é proporcional à população regional. Do total de 538 delegados eleitos, o candidato precisa do apoio de 270 para se eleger presidente.

Senado e outros temas

Além de indicar seus candidatos à presidência, os eleitores também decidirão quem irá ocupar 34 das 100 cadeiras do Senado - o que pode inclusive mudar o perfil da casa. Os republicanos, atualmente maioria, podem perder a liderança porque ocupam 24 das vagas em disputa (as outras 10 são atualmente de democratas).

Os americanos também estão chamados a votar na terça-feira em outras 154 consultas em 35 estados sobre assuntos como pena de morte, salário mínimo e impostos. Uma das questões que mais chama atenção é a legalização (ou não) da maconha como uso recreativo nos estados de Califórnia, Arizona, Massachusetts, Nevada e Maine.

Outro ponto polêmico é a abolição da pena de morte, votado em Nebraska e na Califórnia. Este último estado, aliás, é o que tem o maior número de temas em discussão, 17.




Acompanhe Lages Diário nas redes sociais. Curta no Facebooksiga no TwitterInstagramPinterest e Google+ e Adicione-nos no WhatsApp (49) 9923-9178.

PREVISÃO DO TEMPO

CURTA O LD

SEGUIDORES

Postagens mais visitadas deste blog

Organizador do Bike Serra morre em acidente em Lages

Um morre e outro fica ferido em acidente entre carro e ônibus em Lages

Bombeiros auxiliam jovem que deu a luz em casa no bairro Guarujá