Eleições 2016

 2º turno 
Eleitores de Florianópolis, Blumenau e Joinville voltam às urnas neste domingo (30)
Ângela Amin e Gean Loureiro disputam a prefeitura da capital; Napoleão Bernardes e Jean Kuhlmann, no Vale; e Udo Döhler e Darci de Matos, no Norte de SC.

Por Maurício Santos, em Lages
(jornalismo.lagesdiario@hotmail.com)

Três maiores cidades de Santa Catarina têm eleições do 2º turno neste domingo (30). (Foto: Divulgação / Editoria de Arte / Lages Diário)
Dos 295 municípios de Santa Catarina, três ainda não conhecem os seus chefes do Executivo para o mandato dos próximos quatro anos, são elas: Florianópolis, Blumenau, no Vale do Itajaí, e Joinville, no Norte do Estado. Nas três cidades que estavam habilitadas a terem segundo turno das eleições, nas três nenhum candidato teve 50% mais 1% dos votos para conseguir ser eleito em primeiro turno. Por isso eleitores destas três cidades deverão voltar neste domingo aos seus locais de votação para enfim definir o prefeito de sua cidade.



Em Florianópolis, o atual prefeito Cezar Souza Jr (PSD) optou por não tentar a reeleição e o partido então apoiou a candidatura da prefeita da capital entre 1996 e 2004, Ângela Amin (PP). Seu oponente é o candidato do PMDB, Gean Loureiro, ex-vereador e eleito deputado estadual na eleição de 2014.

Na capital, são mais de 316 mil eleitores aptos a votarem e decidirem por quem irá comandar a cidade pelos próximos quatro anos. No primeiro turno, mais de 38 mil não compareceram e outras 29 mil votaram em branco ou nulo.

Ângela Amin (PP) tenta voltar ao comando da prefeitura da capital de Santa Catarina enquanto Gean Loureiro (PMDB) tenta governar cidade pela primeira vez. (Foto: Divulgação / PP / Divulgação / PMDB)
Na cidade de Blumenau, o atual prefeito Napoleão Bernardes (PSDB) disputa a reeleição. O seu adversário é o mesmo das eleições de 2012, Jean Kuhlamnn (PSD).

Na maior cidade do Vale do Itajaí, o eleitorado é de mais de 232 mil pessoas, sendo que no primeiro turno, 20 mil se abstiveram e outras 28 mil votaram em branco ou nulo, o que representa 22,6% do eleitorado, algo bem expressivo, já que somou mais que os outros três candidatos que disputaram, além dos dois candidatos eleitos ao segundo turno.

Candidatos refazem a disputa de 2012. Jean Kuhlmann (PSD) tenta revanche contra Napoleão Bernardes que tenta a reeleição para comandar maior cidade do vale pelos próximos quatro anos. (Fotos: Divulgação / PSD / Divulgação / PSDB).
Já na maior cidade de Santa Catarina e consequentemente maior colégio eleitoral do Estado, Joinville, com mais de 372 mil eleitores, o atual prefeito Udo Döhler (PMDB) tenta a reeleição diante de Darci de Matos (PSD). No primeiro turno, Udo teve 45% dos votos contra 27,53% de Darci de Matos.

Em Joinville, o primeiro turno teve também uma alta taxa de abstenção e de votos inválidos (brancos ou nulos). Dos mais de 372 mil eleitores, 31.550 não compareceram e outras 35 mil votaram branco ou nulo, o que representa na totalidade 18,7% do eleitorado joinvilense.
Atual prefeito Udo Döhler tenta a reeleição pelo PMDB, já Darci de Matos é o candidato do PSD na disputa pelo posto do prefeito da maior cidade de Santa Catarina. (Foto: Divulgação / PMDB / Divulgação / PSD)
Nas três cidades, a eleição começa às 08h e segue até às 17h. O resultado, segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC) até às 19h, tudo pelo horário de Brasília e no horário brasileiro de verão.

O que pode e o que não pode

Neste domingo, 30, o comércio poderá funcionar normalmente, desde que sejam garantidas efetivas condições para que os funcionários possam exercer o direito ao voto.

Manifestação individual do eleitor, de forma silenciosa da sua preferência por partido político, candidato ou coligação é possível. A aglomeração de pessoas, até o término da votação, com vestuário padronizado, bem como bandeiras, broches, dísticos e adesivos com ou sem utilização de veículos está proibida conforme legislação eleitoral.

Boca de urna ou qualquer outra forma de tentar influenciar a vontade do eleitor, são considerados crimes eleitorais e são puníveis com detenção, com a alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período, e com multa.

Além disso, o eleitor não pode portar na cabine de votação, celular, máquinas fotográficas, filmadoras, equipamento de radiocomunicação ou qualquer instrumento que possa comprometer o sigilo do voto.

Toda seção de votação terá um fiscal de partido da qual estará autorizado, mas desde que não use uniforme padronizado que de alguma forma influencie na vontade do eleitor. Estes fiscais só deverão portar o crachá com a identificação de nome e a sigla do partido ou da coligação.

Acompanhe Lages Diário nas redes sociais. Curta no Facebooksiga no TwitterInstagramPinterest e Google+ e Adicione-nos no WhatsApp (49) 9923-9178.

PREVISÃO DO TEMPO

CURTA O LD

SEGUIDORES

Postagens mais visitadas deste blog

Organizador do Bike Serra morre em acidente em Lages

Um morre e outro fica ferido em acidente entre carro e ônibus em Lages

Colisão traseira faz carro capotar na avenida Dom Pedro II, em Lages; veja vídeo